Polícia registra queixa de venda de credenciais por funcionários da produção

Documento de empregado a serviço de lanchonete teria sido vendido a adolescente que a usaria para a entrada de um amigo

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

O posto policial localizado na saída da Cidade do Rock registrou ocorrência neste domingo na qual pessoas da produção do evento foram acusadas de venda de credenciais. A queixa foi registrada por Sara França, de 19 anos, atendente de telemarketing. Ela chegou ao Rock in Rio sem ingresso e afirma ter sido ludibriada pelos supostos infratores. A credencial vendida à adolescente pertence a um funcionário do Bob’s que, segundo Sara, não foi quem vendeu o documento.

O delegado Paulo Mendes ressaltou que a polícia ainda não sabe se o funcionário perdeu a credencial, se foi roubado ou se houve algum outro motivo para o documento ter parado na mão dos supostos funcionários da produção que teriam cometido o crime.

Sara contou ter chegado ao Rock in Rio com um grupo de amigos, todos com ingressos comprados com uma pessoa na Tijuca, zona norte do Rio, por R$ 250. Única sem conseguir a entrada e fã de Guns N’ Roses, ela partiu para a última tentativa na porta do evento. Disse ter sido abordada por dois homens com credencial de produção que afirmaram ter entradas para este domingo.

A adolescente disse que então entregou os R$ 300 que tinha no bolso e, não satisfeitos, os dois ainda pediram o seu cartão empresarial de vale-transporte, com R$ 55 de crédito, segundo Sara. Chegando mais próximo à entrada, os homens informaram que o amigo de Sara entraria com uma credencial, pois ela também pertencia a um funcionário de sexo masculino, com iniciais V.I.C.. Como a foto é conferida sem exceções na entrada do evento, o amigo de Sara foi barrado e a adolescente foi a única do grupo a ficar do lado de fora.

Com cara de choro, ela aguarda há algumas horas no posto policial, na esperança de ainda conseguir ver o ídolo Axl Rose.

“Eu não queria credencial, queria ingresso. Acabaram me convencendo. Eles falaram para eu ir entrando, que eles entrariam comigo. Era um de camisa vermelha e outro de camisa listrada. Mas sumiram. Se eu os vir, reconhecerei com certeza. Eles queriam que eu entrasse antes, mas aí disse que não, pois não sabia que o meu amigo, que era dono do ingresso, conseguiria entrar. Eles ficaram nervosos com isso, reclamaram, mas acabaram aceitando. Quando meu amigo não passou, eles saíram andando rápido e sumiram. A gente começou a reclamar, ainda dava para o segurança pegar o cara, mas ninguém quis ouvir. Até entendo o lado deles”, disse Sara.

A credencial do funcionário do Bob’s foi apreendida e encaminhada à perícia. A polícia tenta agora localizar V.I.C. com agentes dentro da Cidade do Rock. Até o momento, de acordo um funcionário do Bob’s que estava no local, a rede de lanchonetes não conseguiu confirmar onde está o funcionário ou se o mesmo é terceirizado, já que houve a contratação de pessoal extra para a segunda metade do evento em função dos problemas com as filas no primeiro final de semana.

    Leia tudo sobre: Rock in Riomúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG