Mutantes e Tom Zé criticam corrupção em show no Rock in Rio

Apresentação contou com a participação especial de Beto Lee, filho da ex-Mutante Rita Lee

Augusto Gomes, iG Rio de Janeiro |

Photo Rio News
Sergio Dias, dos Mutantes

O show de Tom Zé e Mutantes no palco Sunset do Rock in Rio teve ótimos momentos, mas só com muita boa vontade pode ser considerada uma apresentação conjunta. Na verdade, foram duas performances separadas.

Tom Zé e sua banda iniciaram a apresentação usando faixas presidenciais e meias na cabeça, cantando uma música com críticas à corrupção ("É trapaça! Balcão de negócios", diz a letra). Foi o início de uma apresentação anárquica, mas que mesmo assim conquistou a plateia com as músicas "Xique Xique" e "Defeito 3: Politicar".

Após cinco músicas solo, foi a vez de os Mutantes subirem ao palco. Tom Zé, a princípio, deveria participar de algumas canções do show. Mas na primeira prevista, "Qualquer Bobagem", ele não apareceu. Nas duas seguintes ("Minha Menina" e "2001") ele até estava no palco, mas sua voz mal podia ser ouvida.

Os Mutantes então continuaram sozinhos. Ou quase: Beto Lee, filho da ex-Mutante Rita Lee, tocou guitarra em "Ando Meio Desligado". Foi uma participação surpreendente, afinal ela saiu brigada da banda nos anos 1970 e, quando o grupo retornou há cinco anos, se recusou a participar da reunião.

Em seu twitter, Rita comentou a participação de seu filho no show. "Não te vi mas soube que a farra foi bonita. Mui simpático el Justiciero Sergio", escreveu, referindo-se ao líder dos Mutantes, Sergio Dias.

A parte final do show ainda teve músicas como "Balada do Louco" e "Panis et Circensis", as mais aplaudidas da apresentação.

    Leia tudo sobre: Rock in Riomúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG