João Donato e Céu não atraem muito público, mas fazem grande show

Pianista e cantora não lotaram palco Sunset no dia de Ivete e Shakira na Cidade do Rock, mas encantaram com jazz e trip-hop

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

Vicente Seda
João Donato e Céu circularam entre o jazz e o trip-hop em ótimo show no palco Sunset
Uma das melhores apresentações do palco Sunset na quarta edição do Rock in Rio no Brasil foi perdida por boa parte do público de Shakira e Ivete Sangalo . Para assistir por uma hora a João Donato e Céu, a plateia tomou basicamente a faixa com sombra em frente ao tablado, com alguns gatos pingados sentados mais atrás, no gramado sintético, e outros bastante espalhados. Mas quem se prestou a caminhar sob sol forte até o canto direito da Cidade do Rock não se arrependeu.

Do jazz ao trip-hop, passando por um improviso de Jimi Hendrix, os dois se divertiram com uma excelente banda, chegando a tocar com 12 músicos e um DJ no acanhado palco secundário do festival, com direito a anúncio de Donato na voz robótica do vocoder sintetizado por um Nord Stage, um dos brinquedos que ambientaram as incursões do pianista.

Acesse o especial Rock in Rio

Vicente Seda
Céu fez covers de Jimi Hendrix e Erasmo Carlos
O início foi com Céu e Donato no palco levando “Emoriô”, seguida de “Malandro”. Foi a deixa para a cantora, bem segura, deixar Donato sozinho para o jazz dominar os amplificadores. “Café com pão”, sem guitarra, teve as cordas sintetizadas por Donato com direito a pedal para simular o “wah-wah” ligado ao teclado. “Vamos fazer barulho”, pediu o pianista logo depois de “The frog”, seguida de “Mosquito” e “Bananeira”.

Céu então voltou ao palco cantanto “Comadi” e agradou em cheio ao público, já presente em maior número ao palco Sunset. “Cangote” foi entoada sem muitos instrumentos ou sintetizadores, com o DJ brincando de fazer rápidas inserções no crossfader do mixer que controlava na parte de trás do tablado. A versão trip-hop de “É preciso dar um jeito meu amigo”, de Erasmo Carlos, fez o público levantar os braços e saudar a cantora.

Sem receio, ela arriscou por terrenos estranhos aos fãs do local. No improviso, Céu fugiu ao setlist e se mostrou atrevida, mesmo com o público de micareta que chegou a fazer coreografia em músicas que lembravam de longe ritmos da Bahia. Não teve muita gente cantando a pérola Jimi Hendrix, “Have you ever been (to Eletric Ladyland)”, em ótima versão carregada no baixo e com pouco destaque à guitarra, instrumento do autor da canção. Pouca gente ali sabia do que se tratava. O encerramento, com direito a jam, veio com “Malemolencia” e o medley “Cala a boca menino” e “Rainha”.

    Leia tudo sobre: Rock in Riojoão donatocéupalco sunset

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG