Evandro Mesquita 'congestiona' rua do Rock in Rio

Cantor e ator aglomera mais de 10 mil pessoas na Rock Street para relembrar sucessos das últimas décadas

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Uma rua intransitável, completamente parada, na noite deste sábado (24), em plena Cidade do Rock, no Rock in Rio . Assim ficou a Rock Street, que simula Nova Orleans, e serve de ponto de encontro aos frequentadores do local. O motivo de tanta gente? Evandro Mesquita acompanhado pela banda The Fabulous Tab, que tocaram clássicos dos anos 1980, além de releituras das duas décadas anteriores.

Geralmente quando há shows nos palcos Sunset e principal, a Rock Street fica mais tranquila - e em alguns casos até desértica. Não foi o caso desta vez. Uma "blitz" parou tudo.

No mesmo intante se apresentava no palco principal a banda NX Zero, que não agradou a todos. “Manda eles irem embora e toca lá, Evandro”, gritou um sujeito. Evandro ria da situação. Mas teve que interromper a apresentação por dez minutos para pedir calma ao público, em um princípio de empurra-empurra. Mais de dez mil pessoas se aglomeraram em torno do coreto, onde acontecem alguns dos shows da Rock Street. “Manda NX Zero embora“, continuavam os protestos entre uma música e outra.

“A gente só toca hinos de paz e amor. A gente celebra a vida”, dizia Evandro, enquanto afinava a guitarra. Evandro também brincou com a chuva, que deu uma trégua. “O tal do pajé que contrataram é poderoso mesmo. Tem que levar o pajé pro Japão. A gente tocou lá recentemente e chove muito. Os japoneses são tão bacanas. Eles têm nas ruas tanta segurança quanto a gente”, disse o cantor, provocando risadas no público.

Com um chapéu de cauboi bastante apropriado, Evandro dominou a rua intercalando sucessos da Blitz com jazz e blues. Sua filha, Manoela Mesquita, acompanhou o momento de Evandro tal como um Indiana Jonnes na saara do rock em local privilegiado, na coxia.

Até o momento Evandro Mesquita fez o maior show na Rock Street. Prova de que o público também vai ao Rock in Rio para delirar com nostalgias marcantes. Entre as letras tocadas, estavam “Vai, vai, love“,“Vítima do amor“,“O romance da universitária otária“,“O beijo da mulher aranha“,“Você não soube me amar“ e “Cruel cruel esquizofrenético blues“.

Acesse o especial Rock in Rio

    Leia tudo sobre: Rock in Riomúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG