Capas de chuva viram "arma anti-furto" no Rock in Rio

Mais de cem ocorrências de furto foram registradas no primeiro dia de evento

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Vivian Fernandez
Pessoas com capa de chuva na Cidade do Rock
Se no primeiro dia do Rock in Rio teve 116 ocorrências de furto e extravio registradas no posto da polícia civil montado nos arredores da Cidade do Rock, o número não deve se repetir neste sábado (24).

Acesse o especial Rock in Rio

Devido à chuva que finalmente apareceu, após previsões alarmistas sobre tempestades para ontem, o público está “coberto” com capas de plástico, evitando assim que bolsos das calças e mochilas fiquem expostos às ações de meliantes. Eles costumam agir no meio da multidão, abrindo o zíper das bolsas e tirando os celulares e carteiras dos bolsos, sem que as vítimas percebam a ação.

Não é permitido o uso de guarda-chuva na Cidade do Rock, portanto apenas as capas – que chegam a ser vendidas até por R$ 15 do lado de fora do festival – são usadas como meio de proteção contra o aguaceiro. Logo elas acabam também servindo, indiretamente, como uma proteção a mais ao cobrir a roupa dos frequentadores do local.

A polícia já havia alertado a população a não carregar documentos e bolsas e tomar cuidado redobrado com as carteiras nos bolsos traseiros das calças. Na hora do empurra-empurra, nos shows mais concorridos, os furtos acontecem com rapidez. Com ou sem chuva, não custa prevenir.

Primeiro dia do Rock in Rio é marcado por filas e show de Elton John

    Leia tudo sobre: rock in rio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG