Publicidade
Publicidade - Super banner
Especiais
enhanced by Google
 

Pedro Aurélio Góis Monteiro

12/12/1889 (São Luís do Quitunde, AL) - 26/09/1956 (Rio de Janeiro, RJ)

iG São Paulo

AE
Pedro Aurélio Góis Monteiro
Quem foi – Chefe das forças do Sul que marcharam para derrubar o presidente Washington Luís. De família de usineiros de Alagoas, que passavam por dificuldades financeiras no final do século 19, Góis Monteiro foi para o Rio de Janeiro e posteriormente para o Rio Grande do Sul para estudar em colégios militares, devido às vantagens de um estudo gratuito e uma carreira certa. Serviu durante anos em guarnições do Rio Grande do Sul e apoiou o governo federal nas revoluções de 1922 e 1924. No Rio de Janeiro, tornou-se homem de confiança do general Álvaro Mariante, diretor de Aviação Militar do Exército, devido ao trabalho que fizeram juntos na repressão da Coluna Prestes.

Papel na revolução – Amigo de longa data de Getúlio Vargas e Oswaldo Aranha, entre outros políticos oposicionistas do Rio Grande do Sul, Góis Monteiro servia no gabinete de Mariante em 1930, mas foi visto em companhia de políticos gaúchos em um evento no Rio de Janeiro. Foi mandado para a região de São Luís das Missões para chefiar as forças armadas do Rio Grande do Sul como forma de testar sua fidelidade ao governo federal.

Foi abordado diversas vezes por Oswaldo Aranha para participar do movimento revolucionário, mas só aceitou deixar seu posto de tenente-coronel quando as revoltas após o assassinato do presidente da Paraíba, João Pessoa, eclodiram no Nordeste do País. Assumiu a chefia do estado-maior das forças revolucionárias, comandando a marcha do Sul para depor o presidente Washington Luís. Depois da tomada do poder, foi designado para comandar a 2ª Região Militar, em São Paulo.
 

Leia tudo sobre: Pedro Monteirorevolução de 30

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG