Antônio Carlos Ribeiro de Andrada

05/09/1870 (Barbacena, MG) - 01/01/1946 (Rio de Janeiro, RJ)

iG São Paulo

Antônio Carlos Ribeiro de Andrada /FGV CPDOC
Antônio Carlos Ribeiro de Andrada (esq)
Quem foi – Presidente de Minas Gerais e articulador da Aliança Liberal. Descendente direto de José Bonifácio de Andrada e Silva, Antônio Carlos pertenceu à primeira geração da família a nascer em Minas Gerais - seu pai, sobrinho do Patriarca da Independência, mudou-se de Santos, onde a família Andrada vivia, para Barbacena por motivos de saúde. Ingressou na carreira política em 1896, como vereador em Juiz de Fora. Ocupou a Secretaria de Finanças do governo estadual de Francisco Sales em 1902 e em 1911 foi eleito deputado federal, cargo que ocupou até 1917, quando foi convidado para ser ministro da Fazenda do governo Wenceslau Brás. Voltou à Câmara Federal em 1919 e permaneceu até 1925. No ano seguinte elegeu-se presidente de Minas Gerais.

Papel na revolução – Seguindo a política do “café com leite”, na qual candidatos paulistas e mineiros revezavam-se no poder desde a República Velha, o próximo passo na carreira de Antônio Carlos seria a candidatura à Presidência da República, com apoio do presidente Washington Luís, de São Paulo. Ao perceber, em 1929, que o presidente não respeitaria a alternância de governantes e indicaria Júlio Prestes – também de São Paulo – à sua sucessão, articulou uma coligação com os governos do Rio Grande do Sul e da Paraíba, a chamada Aliança Liberal, e arquitetou a candidatura de Getúlio Vargas à presidência.

Até o lançamento oficial da candidatura, em 1930, foram feitas diversas negociações com Washington Luís para que ele não indicasse Júlio Prestes, mas o presidente não cedeu. Neste período, paralelamente, Antônio Carlos e Getúlio, entre outros líderes da aliança, mantiveram contatos com ex-combatentes das revoltas tenentistas, além de comprarem armamentos. Com a derrota nas urnas e o surgimento de levantes armados na Paraíba, que resultaram na morte de João Pessoa, vice de Getúlio, iniciou-se a revolução, que derrubou Washington Luís e colocou o político gaúcho em seu lugar, ocupando o cargo até 1945.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG