Violentos combates são retomados na cidade líbia de Sirte

Rebeldes tentam tomar controle da cidade de Kadafi, mas enfrentam bombardeios. Em Bani Walid, opositores tiveram que se retirar

BBC Brasil |

selo

Violentos combates foram realizados neste sábado na Líbia pelo controle da cidade costeira de Sirte, enquanto em Bani Walid, a sudeste de Trípoli, os opositores do coronel se reagrupam depois de serem obrigados a se retirar. Usando metralhadoras, os combatentes contrários a Kadafi e favoráveis ao Conselho Nacional de Transição (CNT), que funciona como governo interino da Líbia, avançaram sobre Sirte, cidade natal do coronel, mas foram alvo de bombardeios inimigos.

O correspondente da BBC Alastair Leithead, que acompanha as forças de oposição a Kadafi em Sirte, diz que os combatentes avançaram cerca de 10 quilômetros em direção à cidade. Segundo o repórter, ocorre um progresso lento, estável e cauteloso por parte dos combatentes anti-Kadafi. Leithead diz que as forças leais ao CNT bombardeiam as posições inimigas, cansando os combatentes pró-Kadafi e então tomando o controle dos locais. 

As forças contra o coronel ainda estão a alguma distância dos portões a leste de Sirte, embora eles pareçam estar mais perto dos acessos a oeste e sul da cidade. Há relatos não confirmados de que os combatentes leais ao CNT tomaram controle total da cidade de Harawa, 80 km a leste de Sirte, depois de negociar um acordo de rendição.

Nos arredores de Sirte, vários milicianos feridos estão sendo tratados em um posto de gasolina. Um médico disse à agência de notícias AP que três combatentes anti-Kadafi foram mortos lá neste sábado. O representante do CNT em Sirte, Hassan Dourai, disse que ninguém tem o controle total da cidade.

"Agora estamos concentrados em um punhado de edifícios na cidade e nos arredores, incluindo (a localidade) de Wadi Abu Hadi, onde as forças a favor de Kadafi estão concentradas" disse à agência AFP um comandante contrário ao coronel, Salem Jeha. Ele afirmou que não há possibilidade das forças favoráveis a Kadafi continuarem a resistir.

Porta-voz de Kadafi
No entanto, o porta-voz do coronel, Moussa Ibrahim, disse que não há risco dos partidários do antigo regime perderem o controle de Sirte. Ibrahim afirmou à agência Reuters que Kadafi está "liderando todos os aspectos dessa luta" e que a resistência vai continuar "por meses e meses".

"Ele está falando com as pessoas, ele está dando palestras, ele está discutindo, ele está supervisionando todas as questões da resistência", disse o porta-voz.

Ibrahim ainda acusou a Otan de bombardear o bloco de apartamentos residenciais de Tamin, em Sirte, durante a noite. "O resultado é mais de 354 mortos, 89 ainda desaparecidos e quase 700 feridos em uma noite", afirmou.

A Otan diz que não tem conhecimento deste relato. "Esta não é a primeira vez que tais alegações são feitas. Na maioria das vezes, elas se revelam infundadas ou inconclusivas", informa a coalizão. Segundo a Otan, são atacados somente alvos militares baseados em "fortes evidências indicando que a população de Sirte estava sendo ameaçada e atacada pelas forças de Khadafi".

Bani Walid
Em Bani Walid, as forças contrárias a Kadafi se retiraram no sábado, depois que um ataque foi repelido. O correspondente da BBC Peter Biles, que está na estrada que leva à cidade, diz que os combatentes leais ao CNT encontraram uma dura resistência. Relatos indicam que seis opositores de Kadafi foram mortos e outros 20 ficaram feridos nos combates pela cidade na sexta-feira.

Reuters
Perto de Sirte, rebeldes observam explosões da artilharia pró-Kadafi

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo áraberebeldes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG