Um manifestante morre e 5 ficam feridos no Iêmen

No sexto dia seguido de protestos contra o governo, outros cinco manifestantes ficam feridos

AFP |

No sexto dia consecutivo de protestos, um manifestante morreu e outros cinco ficaram feridos nesta quarta-feira em Áden, principal cidade do sul do Iêmen, durante enfrentamentos entre as forças segurança e centenas de manifestantes antigovernamentais, indicaram fontes hospitalares.

O manifestante morto, Mohammad Ali Alwani, foi gravemente ferido por tiros das forças antidistúrbios que tentavam dispersar centenas de jovens que protestavam junto à prefeitura de Mansoura, em Áden.

Na capital Sanaa, milhares de estudantes e advogados também protestaram aos gritos de "Depois de Mubarak, Ali", em referência o presidente Ali Abdullah Saleh, que está no poder há 32 anos.

Os manifestantes tentaram chegar à praça Tahrir (Libertação), que tem o mesmo nome da praça do Cairo que foi epicentro da mobilização popular, mas as forças de segurança impediram o avanço.

Alguns manifestantes sofreram ferimentos leves. O correspondente da BBC em árabe Albdullah Ghorab, com o rosto coberto de sangue, afirmou à AFP que foi agredido por homens do partido governista.

Centenas de partidários do partido Congresso Popular Geral (CPG, no poder) atacaram os manifestantes com cassetetes, facas e pedras. A manifestação foi organizada por estudantes e integrantes da sociedade civil. A oposição parlamentar, que decidiu retomar o diálogo com o regime, não participou.

Em Taez, ao sul da capital, milhares também pediram mudança de regime e a dispersão deixou oito feridos.

    Leia tudo sobre: iêmenmundo árabeprotestosegitotunísia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG