TV síria exibe suposta entrevista com mulher dada como morta

Mulher afirmou ser Zainab al Hosni que, segundo a Anistia Internacional, tinha sido presa e mutilada pelas forças de segurança

BBC |

AP
Mulher que diz ser Zainab Al Hosni mostra uma carteira de identidade durante a entrevista
O canal de televisão estatal da Síria exibiu nesta quarta-feira uma suposta entrevista com uma mulher que havia sido dada como morta pelos seus familiares após ter sido presa pelas forças de segurança do país.

No mês passado, ativistas de oposição e a Anistia Internacional tinham divulgado que Zainab al Hosni tinha sido presa e mutilada , mas uma mulher alegando ser Zainab declarou ao canal de televisão que está bem.

O caso de Zainab al Hosni, de 18 anos, teve grande repercussão internacional. Os pais da jovem estavam em um necrotério procurando pelo corpo do irmão de Zainab, um ativista que foi morto na prisão.

Enquanto procuravam o corpo do irmão, eles teriam encontrado o que seria o corpo da filha. O cadáver estaria muito mutilado, com braços e cabeça arrancados e muitas queimaduras. A Anistia afirmou que Zainab tinha sido presa em Homs para tentar intimidar o irmão.

Fugindo da família

A entrevista transmitida pela televisão estatal da Síria mostra uma mulher afirmando "meu nome é Zainab al Hosni e eu fugi de casa pois meu irmão me batia".

Durante a entrevista a jovem afirmou que viu reportagens sobre sua morte na televisão e decidiu ir até uma delegacia de polícia desmentir a informação, pois, no futuro, ela quer ter filhos e quer registrá-los normalmente.

A jovem informou que está vivendo com primos e que seus pais ainda não sabem onde ela está e nem que ela está viva.

A Anistia Internacional reagiu à entrevista transmitida pelo canal sírio afirmando que sua versão dos eventos é baseada em informações dadas por fontes próximas aos envolvidos no incidente e também em imagens em vídeo de um corpo mutilado.

A organização afirma que está tentando esclarecer a situação. Em redes sociais, ativistas sugeriram que a mulher mostrada pela televisão síria pode ser uma sósia.

    Leia tudo sobre: síriaassadmundo árabemutilaçãoprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG