Turquia alerta ONU que pode precisar de ajuda com refugiados sírios

Nas últimas 36 horas, mais de 2,8 mil cruzaram a fronteira em direção ao território turco; número total de refugiados sírios no país é de 24 mil

iG São Paulo |

A Turquia alertou a Organização das Nações Unidas de que talvez precise de ajuda se o fluxo de refugiados sírios que cruzam a fronteira continuar alto . Nas últimas 36 horas, mais de 2,8 mil sírios fugiram para o território turco, chegando a 24 mil o total de refugiados sírios pelo conflito na Turquia.

Consequência: Milhares de refugiados sírios chegam à Turquia

Depois de falar com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o ministro das Relações Exteriores turco, Ahmet Davutoglu, disse que os refugiados sírios estavam se tornando um “problema internacional”.

AP
Sírios que fogem do conflito esperam na fronteira para entrar na Turquia por Reyhanli (19/3)
Davutoglu disse ter falado com Ban Ki-moon no início desta sexta-feira para expressar preocupação sobre a quantidade de refugiados que estão cruzando a fronteira em direção ao país.

“Não poupamos esforços para acomodar os sírios que fogem da violência ao voltar em casa, mas se continuarem chegando nesse ritmo, vamos precisar que a ONU e a comunidade internacional intervenham”, disse Davutoglu a canais de TV.

ONU: Conflito na Síria deixou 230 mil desalojados

Nesta sexta-feira, tropas sírias e rebeldes continuaram a se enfrentar em conflitos em diferentes pontos do país, apenas quatro dias antes do prazo anunciado pelo governo sírio para colocar em vigor o plano de cessar-fogo.

A ONU estima que mais de 9 mil pessoas tenham morrido no conflito de mais de um ano entre forças sírias e opositores do regime do presidente Bashar al-Assad.

O enviado da ONU e a Liga Árabe, Kofi Annan, estabeleceu um plano de paz de seis pontos que foi aceito pela Síria , como parte de um cessar-fogo de ambas as partes supervisionado pela ONU com início em 10 de abril e total implementação no dia 12.

Exigências

O plano levado para o governo sírio pelo ex-secretário-geral da ONU prevê o início de um processo de abertura política que leve em conta aspirações do povo sírio; um cessar-fogo completo de ambas as partes supervisionado pela ONU; permissão e garantia de assistência humanitária a todas as áreas afetadas pelos combates, além de uma pausa de duas horas diárias nos combates para ajuda humanitária; ampliação das libertações de prisioneiros detidos arbitrariamente; garantia de liberdade de circulação pelo país para jornalistas; respeito e autorização das autoridades para liberdade de associação e demonstrações pacíficas.

AP
Foto feita por opositor sírio mostra cova coletiva de vítimas mortas em ataque aéreo em Taftanaz, na Síria
A aproximação do vencimento do prazo para a implementação do cessar-fogo parece ter aumentado a violência na Síria em vez de diminui-la. Segundo a Reuters, grupos ativistas disseram que ao menos 24 pessoas foram mortas com bombardeios e tiros das forças de segurança na sexta-feira em várias partes do país. Na sexta-feira, 50 morreram na Síria, principalmente na cidade central de Homs e na província de Idlib.

Conflito: Tropas sírias intensificam ataques enquanto cessar-fogo se aproxima

Apesar do sinal verde para o plano, os Estados Unidos e aliados se mostraram céticos de que a Síria se comprometerá a cumprir as exigências previstas no plano.

Uma equipe da ONU chegou a Damasco para negociar a possibilidade de enviar monitores da organização para supervisionar o cumprimento da medida.

*Com BBC

    Leia tudo sobre: síriaassadrevolta no mundo árabeonuannanplano de pazturquiarefugiados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG