Síria suspende tratado de livre comércio com Turquia

Decisão acontece depois de o país vizinho seguir a Liga Árabe e impor sanções contra a Síria

EFE |

O governo sírio decidiu neste domingo congelar seu Tratado de Livre-Comércio (TLC) com a Turquia e estabelecer um imposto de 30% para a importação de produtos turcos, devido à pressão desse país contra Damasco, informou uma fonte governamental síria.

O secretário-geral do Conselho de Ministros, Taisir al Zoabi, entrevistado pela agência oficial de notícias "Sana", disse que a decisão é uma resposta "às medidas turcas relacionadas com a imposição de sanções econômicas à Síria que podem causar danos aos interesses de seu povo".

Em reunião extraordinária, o Conselho de Ministros aprovou a suspensão do TLC e de "todas as decisões e instruções surgidas desse convênio". Turquia e Síria assinaram esse convênio em dezembro de 2002, após o que entrou em vigor em 2007, e em dezembro de 2009 ambos os países assinaram cerca de 50 acordos de colaboração para consolidar as relações bilaterais.

O governo sírio decidiu também estabelecer um imposto de 30% do valor a todos os produtos turcos importados pela Síria, quantia que será destinada ao desenvolvimento das regiões mais carentes do país.

Zoabi informou que a medida foi tomada pelo "interesse nacional e como ativação do princípio de reciprocidade".

A decisão aconteceu depois que a Turquia decidiu, na quarta-feira, impor sanções à Síria , após Damasco ter rejeitado a proposta da Liga Árabe de enviar observadores. As sanções incluem a suspensão das relações com o Banco Central Sírio e o congelamento dos bens financeiros dos membros do governo sírio, além da proibição da venda de armas ao país.

No sábado à noite, a Liga Árabe voltou a dar outro ultimato ao regime de Damasco até este domingo para que aceite o envio de observadores e evitar as sanções. A Síria é palco de protestos contra o presidente Bashar al Assad desde março, que provocaram a morte de mais de 4.000 pessoas, segundo a ONU.

    Leia tudo sobre: SÍRIAturquialiga árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG