Saleh retorna ao Iêmen após mais de 3 meses na Arábia Saudita

Líder ferido em ataque ao palácio presidencial em junho volta ao país em meio à escalada de violência

iG São Paulo |

O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, voltou ao país nesta sexta-feira após mais de três meses de tratamento médico na Arábia Saudita . Saleh, que está no poder há mais de 30 anos, ficou ferido durante um ataque ao palácio presidencial em 3 de junho, parte da onda de protestos populares contra seu regime que começou em janeiro.

AFP
Partidários comemoram volta de Saleh ao Iêmen na capital, Sanaa

O retorno de Saleh foi anunciado pela televisão estatal. Saleh requisitou que as distintas forças políticas em conflito cessem a violência para facilitar a possibilidade de um acordo.

Em nota divulgada pela agência de notícias Saba, o líder pediu às forças políticas e militares que parem com o derramamento de sangue, em alusão aos enfrentamentos que ocorreram durante os últimos cinco dias que, segundo a Organização Mundial da Saúde, deixaram 81 mortos.

De acordo com Saleh, a solução para a crise não está nas armas, mas no diálogo e na compreensão, ressaltando que o objetivo é conseguir a estabilidade e a segurança nacional.

A Casa Branca reagiu a seu retornou exigindo que cumpra acordo firmado com o Conselho de Cooperação do Golfo e abandone o poder. O porta-voz Jay Carney condenou o uso da violência no Iêmen e lançou um chamado a Saleh para que abandone o poder e permita que o país árabe "vire a página".

O retorno de Saleh acontece em um momento de escalada de violência em Sanaa.

Desde o último domingo, houve combates entre o Exército e as forças de segurança iemenitas contra militares desertores e partidários da oposição, assim como os enfrentamentos entre tribos rivais.

Analistas acreditam que se Saleh tentar se manter no poder, aumentará a probabilidade de uma guerra no país. Outros acreditam que a Arábia Saudita, potência regional de maior influência sobre o Iêmen, não teria permitido o retorno de Saleh sem exigir um acordo entre ele e a oposição.

Saleh anunciou diversas vezes neste ano que concordaria em deixar o poder, mas voltou atrás em todas as ocasiões. A oposição teme que a última medida tomada pelo presidente, de permitir que seu vice-presidente negocie a transição , seja somente mais uma tentativa de ganhar tempo.

Com BBC, EFE e AFP

    Leia tudo sobre: iêmenmundo árabeali abdullah saleh

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG