Rei da Jordânia nomeia novo premiê após fracasso em reformas

Awn al-Khasawneh, membro do Tribunal Penal Internacional, é o terceiro primeiro-ministro do país desde o início do ano

iG São Paulo |

AFP
Em Amã, Abdullah II (C) posa à direita do premiê Maaruf Bakhit, com novo gabinete do governo (9/2)
O rei Abdullah da Jordânia destituiu o primeiro-ministro Marouf al-Bakhit, um ex-general conservador, e pediu ao jurista Awn al-Khasawneh que chefie o novo governo, disse uma fonte da área política nesta segunda-feira.

Awn al-Khasawneh, 61 anos e membro do Tribunal Penal Internacional desde 2000, foi chefe do tribunal real e conselheiro jurídico da equipe da Jordânia que negociou o acordo de paz com Israel. Ele é o terceiro premiê da Jordânia desde o início desse ano.

Bakhit tinha assumido o cargo em fevereiro, depois que o rei Abdullah demitiu um primeiro-ministro impopular em meio a manifestações pró-reforma inspiradas nos levantes em outros países árabes.

Na segunda-feira, mais de 70 parlamentares pediram ao rei pela demissão de Bakhit e do seu gabinete. Ele vinha sendo criticado pela falta de habilidade em administrar as reformas internas, que incluíam os preparativos para eleições municipais programadas para o fim deste ano.

O rei também fez alterações na cúpula da poderosa agência de inteligência, a mukhabarat, substituindo seu dirigente, Mohammed al Raqqad, por Faisal al-Shobaki, originário das fileiras do órgão.

De acordo com a BBC, o rei Abdullah disse ao seu novo premiê em uma carta que a prioridade de seu governo eram as reformas políticas. "Eu estou confiando a você a formação de um novo governo que possa realizar as reformas e a modernização", ele disse.

O rei disse que aceitou a demissão de Bakhit "levando em consideração os pontos de vista de vários setores da sociedade, bem como uma carta recebida por ele da maioria do parlamento".

Com Reuters

    Leia tudo sobre: jordâniaabdullahmundo árabereformaskhasawneh

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG