Reduto de Kadafi reage a avanço de tropas opositoras

Forças rebeldes iniciaram a tomada de Bani Walid horas antes de expirar o prazo de rendição, mas encontraram resistência

iG São Paulo |

As forças leais a Muamar Kadafi resistiram neste sábado aos avanços dos opositores na cidade de Bani Walid , um dos últimos três redutos do líder líbio remanescentes.

Os combatentes opositores, sob o mando do Conselho Nacional de Transição (CNT), iniciaram sua ofensiva contra Bani Walid na noite de sexta-feira, horas antes de expirar o prazo de rendição . O CNT havia dado até este sábado para as tropas leais a Kadafi permitissem a tomada de controle da cidade, o que não ocorreu. "O prazo expirou ontem, quando eles atacaram nossas forças com foguetes", afirmou a CNN Abdullah Kenshill, chefe de negociações dos insurgentes.

AP
Forças opositoras se reúnem na entrada de Bani Walid, reduto de Muamar Kadafi

Relatos da agência de notícia Reuters dão conta de que Bani Walid está agora sendo alvejada por ataques aéreos da Otan (aliança militar ocidental). Um repórter da agência disse ter visto o disparo de cinco mísseis. O conflito na cidade recrudesceu durante a noite de sexta, com trocas de tiros e de foguetes. Combatentes anti-Kadafi foram levados a hospitais nos arredores da cidade, segundo o correspondente da BBC na região, Richard Galpin. Há relatos de mortes de civis e de combatentes dois dois lados.

Os opositores estavam ao redor da cidade - localizada a 140 km de Trípoli - há quase duas semanas, cercando-a por três lados, enquanto decorriam as negociações. Eles acreditam que importantes partidários do líder líbio, bem como dois de seus filhos - Aif al-Islam e Mutassim - estejam escondidos em Bani Walid.

Testemunhas afirmam que os rebeldes entraram em discussões sobre qual grupo de combatentes deveria liderar a tomada de Bani Walid. Bassam Turki, um combatente de Trípoli, afirmou que companheiros de Bani Walid disseram que queriam expulsar os leais a Kadafi sem a ajuda de forças das outras cidades. "Se (os rebeldes) de Bani Walid podem tomar a cidade sem a nossa ajuda, por que não fizeram isso até agora?"

Resistência inesperada

Ao lançar sua ofensiva, os combatentes do CNT disseram prever que o centro de Bani Walid seria tomado em poucas horas, mas há poucos indícios de que isso ocorrerá.

O correspondente da BBC Andrew Harding, que também está na entrada de Bani Walid, diz que as tropas pró-Kadafi são numerosas e estão oferecendo mais resistência do que o esperado, o que deve prolongar o conflito.

Abdulrahman Busin, um porta-voz do CNT disse que os rebeldes desconhecem quantos partidários de Kadafi estão em Bani Walid, mas acreditam que eles estejam fortemente armados.

Há relatos de combates também em Sirte, cidade natal de Kadafi e outro reduto de apoiadores do coronel. Ali, tropas de oposição foram obrigadas a recuar após sofrerem diversas baixas durante os confrontos, disseram fontes à agência Associated Press.

O terceiro reduto de Kadafi é a cidade de Sabha, no sul.

Alerta vermelho

Na última sexta-feira, a Interpol emitiu um alerta vermelho de busca por Kadafi, seu filho Saif al-Islam e seu chefe de inteligência.

Os três – cujo paradeiro é desconhecido – são procurados pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), com sede na Holanda, para responder a acusações de crimes contra a humanidade durante a repressão aos rebeldes.

A Interpol disse em comunicado que o novo mandado de prisão "vai restringir significativamente a habilidade dos três homens de cruzar fronteiras internacionais".

O alerta vermelho é usado pela Interpol para advertir países-membros sobre procurados e dar aos governos amparo legal para prender os fugitivos se esses estiverem em seu território.

Níger

Kadafi garante que não deixou a Líbia e que manterá a luta pelo poder, mas há boatos de que ele teria escapado para Níger, algo que o governo do país vizinho nega.

Oficiais do país africano, no entanto, dizem que quatro funcionários de alto-escalão de Kadafi entraram no país . O ministro da Justiça Amadou Morou afirmou na sexta-feira que os chefe da aeronáutica, seu piloto e comandantes de duas regiões militares da Líbia foram para Níger. Morou se negou a especificar os nomes.

Morou também condenou um ataque da Embaixada do Níger em Trípoli na quarta-feira a noite por um grupo de 20 homens que tentaram invadir o prédio. Ele disse que a embaixada agora terá proteção do Conselho Nacional de Transição.

* Com BBC e AP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG