Com apoio da Otan, forças do Conselho Nacional de Transição invadem um dos últimos redutos de partidários de Kadafi

Forças rebeldes atiram foguetes a cerca de 1 km do centro de Sirte
Reuters
Forças rebeldes atiram foguetes a cerca de 1 km do centro de Sirte

Apoiadas por aviões da Otan, as forças rebeldes líbias atacaram neste sábado a cidade de Sirte, onde nasceu o líder deposto Muamar Kadafi e um dos últimos redutos das forças leais a ele.

Grande quantidade de fumaça podia ser vista na cidade à medida que as forças do Conselho Nacional de Transição (CNT, órgão político dos rebeldes) invadiam a Praça Zafran, a cerca de um quilômetro do centro.

Disparos podiam ser ouvidos enquanto combatentes do CNT deslocavam tanques e morteiros para a praça. Caminhonetes com metralhadoras na caçamba repletas de rebeldes dos CNT invadiram a cidade.

"Eles têm atiradores de elite sobre as mesquitas, os edifícios. Estão usando as casas e os prédios públicos," disse El-Tohamy Abuzein, combatente do CNT, à Reuters.

A Otan não quis comentar suas operações em Sirte neste sábado, dizendo que seus aviões atingiram uma série de alvos na sexta-feira, incluindo um depósito de munições e uma bateria anti-aérea.

Vários rebeldes afirmaram terem ordens para conter um avanço sobre o centro da cidade por conta da possibilidade de ataques da Otan.

Em Benghazi, o presidente do CNT, Mustafa Abdul Jalil, reconheceu a existência de "diferenças de opinião" entre os integrantes do grupo que impedem a formação de um novo governo.

Em entrevista coletiva, ele afirmou que o atraso no anúncio do executivo se deve à continuidade dos combates em Sirte e Bani Walid e o desejo de todas as tribos e cidades de terem representantes no novo governo.

Jalil prometeu, porém, que um anúncio definitivo será feito na próxima semana.

Com Reuters, AP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.