Rebeldes líbios dizem ter tomado controle de refinaria em Zawiya

Cidade de Zawayia é vista como importante por sua posição estratégica entre a capital Trípoli e a Tunísia

iG São Paulo |

AP
Bandeira dos rebeldes líbios é vista em Zawiya, no oeste da Líbia (15/8)
Rebeldes libios disseram ter tomado nesta quinta-feira uma refinaria de petróleo na cidade de Zawiya, 50 km a oeste da capital Trípoli.

De acordo com a BBC, não havia sinais de tropas leais ao líder líbio, Muamar Kadafi, na região. Dezenas de rebeldes podiam ser vistos na área entorno da refinaria, e o confronto mais próximo ocorria a cerca de 4 km de distância. As informações, no entanto, contradizem um comunicado do governo líbio de que forças leais a Kadafi estariam no controle da cidade.

A refinaria tem sido alvo estratégico das forças opositoras que pedem a saída de Kadafi do poder, por sua posição estratégica e o fornecimento de combustível para Trípoli.

O controle de Zawayia é visto como importante por sua posição entre Trípoli e a Tunísia. Além do controle sobre a cidade, os rebeldes líbios aumentaram a pressão sobre o regime de Kadafi ao multiplicar suas tropas para controlar diversas estradas que ligam a Trípoli.

Além de Zawiya, os combatentes continuam em Brega, 40 km a oeste de Trípoli. Nesta quinta-feira, os combatentes de Misrata anunciaram o avanço de 40 km ao sul em direção de Sirte, e o controle de uma ponte estratégica do local. Os rebeldes também anunciaram o controle de uma importante localidade ao sudoeste do Saara.

Também nesta quinta-feira, os rebeldes líbios comemoraram a tomada de controle de Sabratha, na estrada costeira entre a fronteira com a Tunísia e a capital, Trípoli. De acordo com um morador, o avanço rebelde ocorreu quando a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) bombardeou uma instalação de treinamento militar no centro de Sabratha. Depois desse ataque, os rebeldes invadiram a instalação e tomaram as armas.

Projeto

Nesta quinta-feira, os rebeldes definiram um novo projeto para depois da saída de Kadafi, em uma "declaração constitucional" que descreve em 37 artigos em uma dezena de páginas, as etapas que virão no período de transição após a eventual queda do coronel Kadafi.

O texto prevê o retorno do poder para uma Assembleia eleita dentro de menos de um ano e a adoção de uma nova Constituição.

*Com BBC, Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: otanlíbiaconfrontosmuamar kadafirebeldes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG