Rebeldes líbios chegam a Sirte, cidade natal de Kadhafi

Na manhã deste domingo rebeldes reconquistaram o terminal petroleiro de Ras Lanuf. Bombardeios foram sentido em Sirte e Trípoli

iG São Paulo |

Um intenso bombardeio teve início na noite deste domingo sobre Trípoli e sobre a cidade portuária Sirte, aldeia natal do líder líbio Muammar Kadhafi e reduto dos militantes pró-Kadhafi. Segundo o canal de televisão estatal da Líbia, os alvos dos aviões da coalizão eram civis e militares. O canal Al Jazeera havia dito antes que os rebeldes líbios pretendiam atacar a região em 24 horas, conforme informação divulgada pelo porta-voz dos revolucionários Muhamad Mergirby.

Na manhã deste domingo, os rebeldes reconquistaram o terminal petroleiro de Ras Lanuf, a 210 km de Ajdabiya, enclave estratégico que os insurgentes recuperaram no sábado. Posteriormente, tomaram a ciedade de Ben Jawad, a 50 km de Ras Lanuf.

Após vencer as forças pró-Kadhafi em Ajdabiya, 160 quilômetros ao sudoeste de Benghazi, os rebeldes tomaram Brega, Ras Lanuf e Ben Jawad. No caminho rumo ao oeste, percorreram mais de 400 quilômetros desde a capital rebelde.

"Não houve enfrentamentos em Brega, Ras Lanuf e Ben Jawad porque as forças de Kadafi fugiram. Agora estão concentradas em Uadi el Hamar (entre Ben Jawad e Sirte), mas a maioria está em Sirte", disse Mergirby.

O porta-voz explicou que daqui até segunda os rebeldes recuperarão as forças e se abastecerão em Ben Jawad até lançar a ofensiva contra Sirte.

"Agora pararam porque é perigoso, e não se movimentarão até que as forças da coalizão internacional bombardeiem primeiro as posições de Kadafi em Sirte", explicou o representante rebelde

Manifestação pró-Kadhafi

Mais de 100 pessoas participam em Belgrado de manifestação de apoio a Kadhafi e contra a intervenção internacional na Líbia, neste domingo. Segundo informou a agência sérvia Tanjung , os manifestantes levavam cartazes com palavras de ordem como "Kadafi aguenta", "Kadafi, amigo da Sérvia", fotos do ditador e bandeiras da Líbia.

AP
Manifestante segura um cartaz com uma foto de Muammar Kadhafi e os dizeres "Amigo da Sérvia" e outro segura uma bandeira da Sérvia
"Os americanos e alguns europeus dizem que querem proteger o povo líbio, e o que na realidade querem é o petróleo líbio, algo que jamais vamos permitir", declarou o estudante líbio Abdul Salimbashir, um dos manifestantes.

O líder do movimento nacionalista sérvio "Nosso 1389", Igor Marinkovic, assegurou que mais de 50 mil cidadãos sérvios participam de grupos de apoio a Kadafi na rede social Facebook.

"Quando começou o ataque contra a Líbia, nos solidarizamos com eles, já que em 1999, quando a Otan bombardeou Sérvia, o coronel Kadafi e Líbia nos deram seu apoio a nós", explicou Marinkovic.

O dirigente nacionalista se referia à campanha de bombardeios contra a Sérvia realizada pela Aliança Atlântica para deter a repressão do movimento independentista kosovar, durante o mandato do então presidente da Iugoslávia, Slobodan Milosevic.

Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: LíbiaKadhafirevoltamundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG