Rebeldes frustram tentativa do regime líbio de controlar cidade

Forças leias a Kadafi tentaram retomar controle de Zawiya, a 50 km de Trípoli, mas foram impedidos por opositores

iG São Paulo |

Forças leais ao presidente da Líbia, Muamar Kadafi, tentaram retomar o controle da cidade de Zawiya, localizada a 50 km da capital, Trípoli, mas foram impedidos pela oposição. Segundo testemunhas, a cidade foi atacada durante a madrugada desta terça-feira e os confrontos duraram seis horas. Não há informações sobre mortos.

De acordo com a agência AP, os dois lados combateram usando as mesmas armas: tanques, metralhadoras e canhões. Entre o grupo opositor havia militares que desertaram e passaram a apoiar o movimento contra Kadafi.

Após o último ataque das forças pró-Kadafi, que teria acontecido às 3h (horário local), opositores saíram às ruas de Zawiya para comemorar a vitória. "Conseguimos derrotá-los porque estamos em excelente estado de espírito, enquanto eles estão em péssimo estado de espírito", afirmou um opositor. "Sabemos que a cidade é estratégica (por estar próxima da capital). Eles vão lutar para consegui-la de volta, mas nós não vamos desistir."

Testemunhas disseram que jovens estão armados em telhados de prédios da cidade para monitorar o movimento das forças pró-Kadafi. Elas também afirmaram que o regime ofereceu dinheiro para que os rebeldes devolvessem Zawiya às autoridades. Tentativas do governo de retomar o controle de Misrata, a 200 km de Trípoli, também foram frustradas na segunda-feira. Partidários de Kadafi tomaram parte de uma base área na cidade, mas foram expulsos pelos opositores.

Tropas

Nesta terça-feira, Kadafi deslocou forças de segurança para a fronteira oeste, um dia depois de os Estados Unidos terem ordenado um reposicionamento das forças militares americanas na região.

As tropas líbias reforçaram sua presença na remota localidade de Dehiba, na fronteira com a Tunísia, decorando o posto de passagem com as bandeiras verdes do país. Repórteres que estão no lado tunisiano viram veículos do Exército da Líbia e soldados armados com fuzis Kalashnikov. No dia anterior, não havia presença militar líbia nesse posto fronteiriço.

Para aumentar a pressão sobre Kadafi, os EUA também bloquearam bens do líder e de sua família, no valor de US$ 30 milhões. O subsecretário do Tesouro para terrorismo, David Cohen, afirmou que a quantia foi a maior já bloqueada pelo órgão. A ordem de congelar os bens havia sido assinada por Obama na sexta-feira, em resposta à violenta repressão aos protestos antigoverno.

Governos de diversos países condenaram a violência do regime contra os manifestantes que têm saído às ruas da Líbia nas últimas duas semanas, e na segunda-feira a União Europeia aprovou sanções e um embargo na venda de armas contra o país norte-africano.

No sábado, outras sanções haviam sido impostas pelo Conselho de Segurança da ONU . Há relatos de centenas de mortos em confrontos no país, em um momento em que o líder líbio está acuado e sem o controle de parte das cidades do leste da Líbia.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: líbiaprotestosmundo árabekadafi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG