Rebeldes determinam evacuação de hospital após ataques de Kadafi

Ataques com morteiros atingiam o acesso oeste de Ajdabiya, principal ponto de comunicações com o leste do país

EFE |

Os rebeldes determinaram neste sábado a evacuação do hospital de Ajdabiya, a 160 quilômetros ao sudoeste de Benghazi, diante da intensidade do bombardeio das tropas do líder líbio, Muammar Kadafi. A decisão foi tomada por conta da crueldade dos combates que obrigaram também o abandono da cidade pelas poucas famílias que restavam neste enclave estratégico do leste do país.

As forças leais ao coronel Muammar Kadafi atacaram as imediações do centro médico com morteiros que atingiam o acesso oeste da cidade, principal ponto de comunicações com o leste do país. Por este local partem as rotas terrestres rumo a Benghazi e à fronteira com o Egito.

Na manhã deste sábado, os rebeldes não conseguiram manter uma das linhas da frente localizadas em torno da cidade, que os partidários de Kadafi conseguiram tomar há três semanas, embora tenham abandonado por conta do assédio da aviação aliada.

O duelo de artilharia causou momentos de confusão no hospital, que embora conte com inúmeros médicos voluntários quase não tinha feridos. Combatentes atingidos na frente de batalha, especialmente os casos mais graves, são diretamente transferidos à retaguarda em Benghazi. Os médicos do hospital indicaram que as forças de Kadafi, quando empreenderam fuga no início dos bombardeios da coalizão internacional, destruíram todos os equipamentos médicos do hospital e o material cirúrgico necessário para operar.

    Leia tudo sobre: líbiaprotestosmundo árabekadafi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG