Premiê turco acusa Conselho da ONU de ser conivente com opressão na Síria

Governo de Assad anuncia retirada de tropas de algumas cidades, como implantação do plano de paz, mas opositores negam

iG São Paulo |

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou nesta terça-feira o Conselho de Segurança das Nações Unidas de indiretamente apoiar a opressão contra o povo sírio e falhar em unificar opositores e forças sírias.

Annan: Governo da Síria aceita prazo para iniciar plano de cessar-fogo

Segundo o premiê turco, o Conselho de Segurança ficou parado com suas “mãos e braços atados” equanto o povo sírio morre todos os dias. Erdogan disse que ao não tomar uma decisão concreta em relação à Síria, o Conselho de Segurança “indiretamente apoiou a opressão”.

Reuters
Crianças caminham em campo de refugiados em Hatay, província turca na fronteira
Em Damasco, o chefe da Cruz Vermelha Jakob Kellenberger se encontrou com autoridades sírias. Desde que chegou ao país , ele tenta conseguir autorização para entrada de agentes de ajuda humanitária para feridos ou mesmo aqueles que tiveram de deixar suas casas pelo conflito.

Kellenberger também pressiona as autoridades sírias para alcançar um cessar-fogo diário de duas horas, conform estipulado no plano de paz proposto pelo enviado das Nações Unidas e Liga Árabe, Kofi Annan.

Retirada das tropas

Apesar de o governo sírio ainda não ter definido uma data para implementar o plano de paz , o presidente da Assembleia Geral da ONU, Nassir Abdulaziz al-Nasser, sugeriu o dia 13 de abril – depois do prazo de até 10 de abril – para cessar-fogo e retirada das tropas das cidades.

O Ministério das Relações Exteriores russo disse que o governo sírio já começou a implementar o plano de paz proposto por Annan. Segundo o ministério, um comunicado do embaixador sírio diz ao vice-chanceler russo, Mikhail Bogdanov, que Damasco começou a cumprir com suas obrigações em relação ao plano.

Segundo Ahmad Fawzi, porta-voz de Annan, uma equipe do departamento de manutenção de paz da ONU deve chegar a Damasco dentro de 48 horas para discutir a distribuição de observadores para monitorar o cessar-fogo na Síria.

O anúncio é feito um dia depois de Annan ter dito ao Conselho de Segurança que o governo sírio havia aceitado implementar o plano de paz até o dia 10 de abril.

Segundo seu porta-voz, Annan se reunirá na quarta-feira na Suíça com o general norueguês Robert Mood, que vai liderar a equipe. Mood foi chefe da Organização de Supervisão de Trégua das Nações Unidas (UNTSO), que visa à manutenção de paz da ONU no Oriente Médio, por dois anos, até fevereiro de 2011.

ONU: 1 milhão de sírios precisam de ajuda humanitária

Nesta terça-feira, o governo disse ter começado a retirar soldados de algumas cidades na Síria e enviou-os para suas bases.

Ativistas opositores, no entanto, negaram a retirada dasforças leais ao governo de Assad. “Isso é impossível”, disse Khaled al-Omar, morador de Saqba, subúrbio de Damasco. Segundo ele, forças leais a Assad ocupam tanto o posto de controle que avistava da janela de sua casa quanto as principais praças da cidade.

*Com BBC, Reuters e AP

    Leia tudo sobre: síriaassadrevolta no mundo árabeonuoposiçãoannanplano de paz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG