Premiê da Tunísia diz que eleições podem ser adiadas

Por motivos técnicos, eleições previstas para 24 de julho para formar assembleia e elaborar Constituição, podem ser remarcadas

iG São Paulo |

O primeiro-ministro da Tunísia, Beji Caid Sebsi, levantou a possibilidade, neste domingo, de um atraso nas eleições marcadas para julho. Segundo ele, o adiamento pode ocorrer por motivos técnicos.

A Tunísia planeja realizar as eleições em 24 de julho para formar uma assembleia para elaborar uma nova Constituição, após o ex-presidente Zine al-Abidine Ben Ali ter sido deposto em janeiro, em uma revolução que inspirou rebeliões em todo o mundo árabe .

Sebsi disse em uma entrevista transmitida pela TV estatal que a Tunísia ainda estava trabalhando para realizar as eleições na data prevista.

A declaração acontece num momento em que o governo tunisiano decretou toque de recolher noturno na capital do país e em seus subúrbios, durante o fim de semana. A decisão tomada pelos ministérios da Defesa e do Interior foi tomada após seguidos dias de violência e saques.

O comunicado, divulgado por uma rede de televisão e pela agência TAP, diz que o toque de recolher vigora entre as 21 horas e as 5 horas local (19 horas e 3 horas de Brasília) por tempo indeterminado.

Desde quinta-feira ocorrem manifestações na Tunísia contra o governo. Alguns dos protestos foram duramente reprimidos pelas forças de segurança.

*Com informações da agência Reuters

    Leia tudo sobre: tunísiarevolta no mundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG