Polícia usa bombas de gás para dispersar protesto na Tunísia

Jovens tentavam invadir Ministério do Interior em protesto contra governo de transição

iG São Paulo |

A tentativa de invasão do Ministério do Interior tunisiano realizada neste sábado por cerca de 500 jovens manifestantes foi abafada pelo uso de bombas de gás pelas forças do governo de transição. Foi a segunda vez em menos de 24 horas que o centro Tunis, capital da Tunísia, foi palco de batalha.

Esse novo protesto ocorre um dia depois de violentos confrontos entre as forças de segurança tunisianas e grupos de manifestantes que tinham tentado entrar no ministério, além de saquear e incendiar três delegacias no centro.

Um dispositivo policial dispersou rapidamente os manifestantes, e pedia que as pessoas que estavam nas ruas voltassem a suas casas. Vários policiais à paisana e com o rosto tampado por toucas, com bastões de madeiras nas mãos, andavam pelas ruas perpendiculares à avenida Habib Burguiba, onde está o ministério do Interior, à procura de manifestantes. Também circulavam carros de polícia  no centro, onde a entrada das ruas estava bloqueada por policiais.

Durante o confronto, se ouviram disparos esporádicos de fuzil. Os incidentes provocaram o fechamento do comércio e demais estabelecimentos públicos em um perímetro de dois quilômetros em torno e também interrompeu o livre trânsito dos transeuntes pela zona.

Fontes da agência EFE argumentaram que "chama a atenção a extrema juventude dos manifestantes que não chegam à adolescência. Há alunos do primário de 12 anos de idade e outros de apenas 20". Para algunso é preciso questionar se os manifestantes estão conscientes. Em contraste, as fontes assinalam a manifestação pacífica pelo sexto dia consecutivo de jovens representantes de 24 províncias tunisianas na Praça do Governo para pedir a queda do Governo de Transição que lidera o primeiro-ministro, Mohamed Ghannouchi.

Muitos jovens neste sábado no centro cantavam "Allahu Akbar" (Deus é Grande) em vez de "Ghannouchi fora", o que poderia indicar, segundo alguns observadores, que os manifestantes concentrados na Praça do Governo e os do centro da capital estão dirigidos por linhas diferentes.

Os enfrentamentos da sexta-feira provocaram a morte de um jovem de 22 anos por ferimentos de bala, presumivelmente disparada pela Polícia, assim como sete feridos por bala e outros 21 por golpes e inalação em massa de gás lacrimogêneo. O governo tunisiano exortou neste sábado às famílias com filhos em idade escolar e universitária para que não permitam que eles participem das manifestações.

*com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: tunísiarevoltamundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG