Entre as vítimas estão duas crianças. Mortes aconteceram no mesmo dia que Liga Árabe anunciou sanções econômicas contra país

Manifestantes protestam em Deir Balaba, perto de Homs
Reuters
Manifestantes protestam em Deir Balaba, perto de Homs
Pelo menos 32 pessoas morreram neste domingo (27) na Síria vítimas da repressão das forças de segurança do regime de Bashar al Assad, a maior parte delas na província Homs. Mortes aconteceram no mesmo dia que a Liga Árabe anunciou sanções econômicas contra Damasco .

Em comunicado, o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), que anteriormente tinha divulgado em 28 o número total de vítimas, denunciou que quinze pessoas perderam a vida em Homs, local que é cenário de violentos enfrentamentos.

Leia também:Comissão liderada por brasileiro divulgará relatório sobre Síria

Em Rankur, nos arredores, de Damasco, 11 pessoas morreram, entre elas dois menores, um de 14 e outro de 10 anos de idade. No leste do país, na cidade de Deir ez Zor, duas pessoas perderam a vida quando as forças de segurança dispararam em direção a um funeral de uma vítima do regime.

Três pessoas, incluindo um menor de 17 anos, morreram em Karnaz, na província de Hama, no centro do país, após ataques das forças de segurança. O Observatório divulgou ainda que uma pessoa morreu em Kafernobl, na província de Idleb, após ser detido pela polícia.

Mortes acontecem no mesmo dia que a Liga Árabe anunciou o sanções com congelamento de bens e veto a viagens de autoridades sírias, cortes de investimentos e transações comerciais com o país e a suspensão de acordos com o banco central sírio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.