ONU pede respeito aos direitos humanos na cidade natal de Kadafi

Órgão pede que atos de revanche sejam deixados de lado e que responsáveis sejam levados à Justiça para serem julgados

iG São Paulo |

As forças leais ao Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão que governa a Líbia, iniciaram o que chamam de um ataque final a Sirte, com uma chuva de granadas lançadas por foguetes antiaéreos e rajadas de armas automáticas, em uma tentativa de tomar o controle da cidade de Kadafi. "A revolução líbia se baseia na exigência do respeito aos direitos humanos e à dignidade", indicou Ian Martin, representante especial do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em um comunicado divulgado na sexta-feira (7).

Leia também: Forças do governo interino líbio invadem base pró-Kadafi em Sirte

Reuters
Forças leais ao CNT são vistas chegando a Sirte, cidade importante para o ex-líder Kadafi

"Peço a todos o respeito aos apelos do Conselho Nacional de Transição para que sejam deixados de lado atos de revanche contra aqueles que forem responsabilizados por crimes de guerra e por outras graves violações", indicou. Essas pessoas, destaca o comunicado, devem ser levadas à justiça e submetidas a um processo justo, tendo como base uma "reconciliação nacional e a futura unidade do povo da Líbia", frisou Martin.

O enviado da ONU, que visitou a devastada cidade de Misrata esta semana, ressaltou que pôde ver pessoalmente "evidências de crimes de guerra cometidos pelo regime de Kadafi". Sirte e Bani Walid, um oásis 170 km ao sul da capital líbia, são os maiores bastiões partidários do ex-líder Kadafi.

Fortes combates

Na sexta-feira, a ofensiva das forças interinas teria deixado pelo menos 12 mortos e feito 190 pessoas feridas, segundo fontes médicas. Milhares de civis já abandonaram Sirte, mas muitos permaneceram na cidade. As duas facções em combate se atacaram com morteiros, foguetes e tiros de canhão na cidade situada a 360 quilômetros ao leste da capital Trípoli.

O paradeiro do antigo líder líbio é desconhecido, mas acredita-se que Kadafi não estaria em Sirte. As tropas do governo interino chegaram a cidade a partir de Misrata, pelo oeste do país, e a Benghazi, pelo leste. Mas os combatentes encontraram forte resistência com ataques de tanques ao avançarem rumo ao centro da cidade.

*com BBC Brasil e AFP

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabesirteonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG