Obama propõe US$ 800 milhões em ajuda a países da Primavera Árabe

Maior parte da ajuda, US$ 770 milhões, iria para a criação de um Fundo de Incentivo ao Oriente Médio e Norte da África

iG São Paulo |

A Casa Branca anunciou nesta segunda-feira um plano que inclui mais de US$ 800 milhões em assistência econômica aos países varridos pelas revoluções da Primavera Árabe , além de manter a ajuda militar dos Estados Unidos ao Egito.

Leia também: Plano de orçamento de Obama vai buscar maior tributação de ricos

AP
Cópias do orçamento federal de 2013 de Barack Obama chegam ao comitê de orçamento no Capitólio, Washington

Em sua mensagem orçamentária anual ao Congresso , o presidente Barack Obama pediu que a ajuda militar norte-americana ao Egito seja mantida no mesmo nível de anos anteriores, em US$ 1,3 bilhão, apesar da crise desencadeada por um inquérito egípcio contra ativistas norte-americanos pró-democracia.

As propostas são parte da solicitação orçamentária da Casa Branca para o ano fiscal de 2013, que começa em 1º. de outubro próximo. A solicitação precisa de aprovação do Congresso, mas alguns parlamentares podem tentar cortar gastos no exterior para reduzir o déficit norte-americano, e estão particularmente irritados com o Egito.

Obama propôs US$ 51,6 bilhões para financiar o Departamento de Estado e a ajuda internacional em geral, sendo US$ 8,2 bilhões para assistência a zonas de guerra. O "núcleo orçamentário" para essa categoria teria alta de 1,6 por cento, segundo funcionários.

A maior parte da ajuda econômica aos países da Primavera Árabe, ou seja, US$ 770 milhões, iria para a criação de um "Fundo de Incentivo ao Oriente Médio e Norte da África", disse o presidente em seu plano orçamentário.

Analistas dizem que é difícil avaliar quanto desse valor é realmente um dinheiro novo. "Da forma como foi apresentado, é difícil determinar de o fungfo da Primavera Árabe é vinho novo em garrafas novas, ou vinho velho em garrafas novas", disse John Norris, um ex-funcionário de ajuda humanitária americano, que hoje trabalha no Centro Americano para o Progresso.

O Fundo de Incentivo ao Oriente Médio e Norte da África "vai prover incentivos de longo prazo nas reformas comerciais, econîmicas em políticas nos países em transição - e em países preparados para fazer reformas proativamente", informou o documento do Orçamento.

A proposta disse que a abordagem "expande o apoio da nossa economia bilateral em países como a Tunísia e o Iêmen, onde as transições já estão acontecendo." Ela não especificou, porém, como o fundo será dividido pelos países, nem deu mais detalhes sobre o plano.

Obama manteve a prática de dar uma assistência a zonas de guerra em uma conta separada. Essa conta, conhecida como "Operações de Contingente Estrangeiras", inclui US$ 8,2 bilhões para o Departamento de Estado e ajuda estrangeira. Também acrescenta US$ 3,3 bilhões ao Afeganistão, US$ 1 bilhão para o Paquistão e US$ 4 bilhões para o Iraque.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: euaeleição nos euaobamaorçamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG