Mulher de Mubarak promete entregar fortuna ao Egito

Detida sob acusações de enriquecimento ilícito, Suzanne Mubarak assinou procurações autorizando retirada de dinheiro de contas e venda de chalé

iG São Paulo |

Suzanne Mubarak , esposa do ex-presidente egípcio Hosni Mubarak , prometeu nesta segunda-feira entregar sua fortuna ao Estado, dias depois de iniciada sua prisão preventiva no âmbito de uma investigação por corrupção.

De acordo com a agência oficial Mena, "Suzanne Thabet, esposa do ex-presidente Hosni Mubarak, assinou três procurações para Assem al-Gohari, chefe da autoridade anticorrupção (do Ministério da Justiça), autorizando-o a retirar o dinheiro das contas de dois bancos e vender um chalé que possui".

Na sexta-feira, o Ministério da Justiça egípcio havia ordenado a detenção por 15 dias de Suzanne para investigar acusações de suposto enriquecimento ilícito. A decisão foi tomada após o interrogatório de Suzanne na localidade litorânea de Sharm el-Sheikh, e um dia depois de o ministério decidir prolongar por mais 15 dias a detenção preventiva do ex-presidente.

Após o anúncio da ordem de prisão, Suzanne foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Internacional de Sharm el-Sheikh por uma crise cardíaca. Segundo fontes médicas citadas pela rede de televisão estatal, Suzanne foi hospitalizada após suspeitar que sofria um ataque cardíaco.

Acusações

A decisão de ordenar a detenção da mulher de Mubarak partiu do chefe do Departamento de Enriquecimento Ilícito do Ministério da Justiça, Assem al-Gohari. Segundo ele, a decisão se deve às acusações contra Suzanne de que usou da posição de seu marido para enriquecer ilegalmente. Na véspera, o chefe da investigação contra Mubarak, Khaled Selim, foi a Sharm el-Sheikh, onde permanece hospitalizado o ex-chefe de Estado, para interrogá-lo e também sua esposa sobre sua suposta acumulação ilegal de riqueza.

Depois do interrogatório do ex-presidente, decidiu-se pela postergação de sua prisão preventiva, enquanto Selim adiou o encontro com Suzanne para essa sexta-feira.

Mubarak, de 83 anos, e seus dois filhos, Alaa e Gamal, presos na prisão de Tora no Cairo, são acusados de abuso de poder e enriquecimento ilícito. Sob eles pesa também a acusação de envolvimento no ataque contra os manifestantes durante a revolta popular iniciada em 25 de janeiro que forçou a renúncia do então chefe de Estado, em 11 de fevereiro. Mubarak está detido preventivamente desde 13 de abril no hospital de Sharm el-Sheikh.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: egitohosni mubarakmundo árabesuzanne mubarak

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG