Mubarak prepara carta para pedir perdão ao povo egípcio, segundo jornal

Segundo publicação independente, é possível que ex-presidente grave a leitura da carta e a divulgue pela televisão

EFE |

O ex-presidente Hosni Mubarak prepara uma carta para pedir perdão ao povo egípcio pelos danos causados durante seu governo ao país, informou nesta terça-feira o jornal Al Shoruq. Segundo a publicação independente, que cita fontes egípcias e árabes que solicitaram anonimato, é possível que Mubarak grave a leitura da carta e a divulgue pela televisão.

Um prestigiado jornalista egípcio estaria preparando a estrutura da carta, segundo o Al Shoruq, que acrescenta que essa mesma pessoa teria colaborado na elaboração do discurso de 2 de fevereiro, com o qual Mubarak tentou ganhar a simpatia do povo.

No texto, o ex-governante lembrará aos cidadãos que "um dia foi um soldado combatente nas fileiras das Forças Armadas para defender sua pátria e não esperava o posto de presidente". Mubarak se desculpará também por sua família e, sobretudo, por sua mulher, Suzanne Mubarak , internada no hospital de Sharm el-Sheikh, na costa do Mar Vermelho, após sofrer uma crise cardíaca quando soube de sua ordem de prisão por suposto enriquecimento ilícito.

O ex-presidente afirmará que "tentou, como podia, assumir as responsabilidades desse posto (de presidente) e que sua mulher colaborou em trabalhos caridosos a fim de servir aos cidadãos egípcios", relata o "Al Shoruq".

Além disso, expressará sua disposição e a de sua mulher de renunciar a todos seus bens em favor do povo egípcio. As fontes citadas pelo jornal consideram que o objetivo da carta é pedir às Forças Armadas que perdoem o ex-presidente e a ex-primeira-dama.

Por outro lado, fontes militares disseram à publicação que autoridades egípcias e árabes vêm trabalhando para conseguir que a situação de Mubarak seja resolvida de uma maneira legal aceitável, com aprovação do povo.

As fontes afirmaram que qualquer decisão tomada pela junta militar que dirige o país levará em conta a opinião do povo e os interesses egípcios.

Mubarak, de 83 anos, está preso preventivamente no hospital de Sharm el-Sheikh desde 13 de abril, um dia após ser internado ao sofrer um ataque cardíaco durante interrogatórios judiciais. Seus dois filhos, Alaa e Gamal, também estão presos na penitenciária de Tora, no Cairo, acusados de abuso de poder e enriquecimento ilícito.

Na segunda-feira, Suzanne efetuou as ações necessárias para renunciar aos fundos que tem em todas suas contas bancárias, além de um imóvel, informou nesta terça-feira o jornal "Al-Ahram".

    Leia tudo sobre: egitohosni mubarakmanifestaçõescairopraça tahrir

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG