Ex-presidente egípcio foi por muito tempo aliado crucial do Ocidente em uma região conturbada

selo

Hosni Mubarak foi, por muito tempo, um aliado crucial do Ocidente em uma região conturbada, mas era cada vez mais desprezado pelos egípcios por seu autoritarismo, a corrupção do regime e a brutalidade das Forças de Segurança. Mubarak ficou praticamente 30 anos no poder.

Ele se tornou presidente quando seu antecessor, Anwar Sadat, foi assassinado durante uma parada militar.

Estabilidade se tornou a palavra de ordem de seu governo, mesmo que em detrimento dos direitos humanos.

Como presidente, Mubarak ajudou a manter o acordo de paz assinado por Sadat com Israel em 79, o que lhe rendeu a amizade do ocidente e US$ 2 bilhões por ano em ajuda americana, mas a hostilidade de extremistas islâmicos.

Este ano, inspirados por protestos na Tunísia em janeiro, os egípcios pediram por mudanças e o levante derrubou um dos lideres árabes há mais tempo no poder .

Assista ao vídeo sobre a trajetória do ex-presidente: 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.