Após exclusão da Liga Árabe, manifestantes atacaram embaixada da Arábia Saudita. Turquia retirou seus diplomatas do país

Milhares de manifestantes se concentraram neste domingo no centro de Damasco para expressar seu apoio ao presidente sírio Bashar al Assad e denunciar a decisão da Liga Árabe de excluir a Síria de sua organização .

Na noite de sábado, manifestantes atacaram a embaixada da Arábia Saudita em Damasco. O país condenou o ataque e acusou as forças de segurança sírias de não impedir a entrada de manifestantes partidários do regime de Bashar al-Assad no edifício. A embaixada do Catar também foi atacada, assim como os consulados da Turquia e da França em Latakia, 330 quilômetros ao norte de Damasco, segundo testemunhas. Neste domingo, a Turquia decidiu retirar da Síria as famílias de seus diplomatas.

Manifestas pró-Assad fazem protesto em Damasco, um dia depois da Liga Árabe suspender a participação da Síria
AFP
Manifestas pró-Assad fazem protesto em Damasco, um dia depois da Liga Árabe suspender a participação da Síria

"O povo ama Bashar al Assad", cantavam os manifestantes reunidos na praça Sabaa Bahrat, agitando bandeiras nacionais e exibindo fotos do presidente.

A tv síria mostrou imagens de manifestações a favor de Assad também na Praça dos Omeyas de Damasco, em Aleppo (norte), Latakia (oeste) e outras cidades sírias.

A Liga Árabe anunciou neste sábado a suspensão da Síria da organização e ameaçou Damasco com sanções. A violência no país continuou hoje com a morte de seis civis e nove agentes da segurança durante operações de repressão e confronto, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

A decisão da Liga foi motivada pelo não cumprimento do plano para saída da crise elaborado pela instituição Pan-árabe.

* Com informações da AFP e da EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.