Líder sul-africano chega a Trípoli para tentar saída para conflito líbio

Jacob Zuma deve se reunir com líder Muamar Kadafi para tentar solução negociada para conflito iniciado no final de fevereiro

iG São Paulo |

AP
Jacob Zuma acena aos eleitores na sua posse como presidente da África do Sul (foto de arquivo)
O presidente sul-africano, Jacob Zuma, chegou nesta segunda-feira a Trípoli para tentar buscar uma solução negociada para o conflito entre os rebeldes líbios e o regime de Muamar Kadafi, informou a rede de televisão Al-Jazeera.

Zuma foi recebido pelo primeiro-ministro líbio, Baghdadi Mahmudi, no aeroporto, onde foi colocado um tapete vermelho na pista e onde um grupo de crianças cantava: "Queremos Kadafi", enquanto balançavam bandeiras verdes do regime e fotografias do líder líbio.

O presidente sul-africano deve se reunir com Kadafi para buscar uma solução negociada ao conflito armado entre o regime de Trípoli e os rebeldes desde o final de fevereiro.

Segundo o governo sul-africano, os objetivos da visita de Zuma incluem a negociação de um cessar-fogo imediato, a distribuição de ajuda humanitária à população e o início das reformas que eliminem as causas do conflito.

O gabinete do presidente negou no domingo as informações de que a viagem teria como meta a a saída de Kadafi do poder, afirmando que a visita se inclui nos esforços da União Africana (UA) para pôr fim ao conflito.

Ataque da Otan

Ataques da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) deixaram pelo menos 11 mortos nesta segunda-feira em "zonas civis e militares" na cidade de Zliten, a cerca de 150 quilômetros ao leste de Trípoli, segundo a agência oficial líbia "Jana".

A agência, que cita uma fonte militar, assegurou que os ataques da Otan em Zliten, na região de Wadi Kaam, também deixaram vários feridos, mas não anunciou um número exato. Zliten se encontra entre a capital líbia e a cidade de Misrata, em poder dos rebeldes e cercada há três meses pelas tropas de Kadafi.

A Jana informou que os ataques da Otan se concentraram nesta segunda-feira também na cidade de Al-Kufrah, a cerca de 600 quilômetros ao sudeste da capital líbia. A região também foi alvo de bombardeios da Otan na noite de domingo, informou a agência.

A Jana revelou que aviões da Otan realizaram no domingo outros ataques na cidade de Nalut, na região ocidental de Tiji, causando "perdas humanas e materiais". Nalut, perto da fronteira com a Tunísia, é um estratégico reduto rebelde.

Os rebeldes líbios, que controlam grande parte do leste do país, continuam lutando em várias regiões do oeste, em sua maioria em poder das forças do regime. Misrata, a terceira maior cidade do país, e algumas cidades nas montanhas ao sul de Trípoli, são os principais redutos insurgentes na região ocidental da Líbia.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: líbiakadafitrípoliotanjacob zumaáfrica do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG