Líbia acusa Otan de novo bombardeio com 15 mortes, mas Aliança nega

Nova acusação é feita um dia depois de organização admitir responsabilidade em ataque que deixou nove mortos em bairro de Trípoli

iG São Paulo |

A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) descartou nesta segunda-feira ter lançado uma operação que deixou 15 mortos e vários feridos na cidade de Surman, a oeste de Trípoli. A declaração foi feita em resposta à acusação do governo líbio e um dia depois de a Aliança ter reconhecido sua responsabilidade em um ataque aéreo que matou nove civis e deixou 20 feridos na capital líbia no domingo.

Segundo uma fonte da organização, a Otan não realizou nenhum bombardeio em Surman, localizada a cerca de 70 quilômetros da capital. De acordo com o governo líbio, o ataque teve como alvo a residência de um antigo companheiro de armas de Kadafi e, entre os 15 mortos, haveria três crianças.

O governo levou jornalistas estrangeiros para o local do suposto ataque aliado, e um correspondente da AFP observou vários edifícios destruídos. Segundo o governo, o complexo residencial foi atingido por oito mísseis durante um ataque aéreo. O porta-voz do regime líbio, Mussa Ibrahim, denunciou um "ato terrorista e covarde, que não pode ser justificado".

A casa pertencia a Juildi Hemidi, que integrava o conselho de comando da revolução de 1969. A maioria das vítimas, segundo o governo, é de familiares de Hemidi, incluindo dois netos, e vizinhos. As equipes de socorro procuravam outras possíveis vítimas entre os escombros.

No domingo, o governo líbio havia acusado a Otan pelo ataque a Souq al-Juma, bairro residencial da periferia de Trípoli, o que horas mais tarde forçou a declaração da organização de que o mal funcionamento de um projétil poderia ter causado o erro.

AFP
Em foto tirada em tour do governo pessoas são vistas em frente de destroços de casas em Trípoli que foram destruídas em bombardeio da Otan (19/06)
"Ainda estamos determinando as especificidades do evento, mas indicações são de que uma falha no sistema de armamento possa ter causado o incidente", afirmou o comandante da missão da Otan, general Charles Bouchard, em comunicado.

Previamente, a Otan havia admitido ter bombardeado por engano um comboio de rebeldes líbios perto de Brega, porto petrolífero ao leste da capital, causando a morte de seis opositores de Kadafi.

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabetrípolieuaonuotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG