Kadafi está perto da fronteira com a Argélia, diz governo interino líbio

Líder deposto estaria escondido no sul da Líbia e sob proteção de membros da tribo Touareg, segundo CNT

iG São Paulo |

O governo interino da Líbia acredita que o líder deposto Muamar Kadafi esteja escondido em uma cidade do sul do país, localizada no deserto e perto da fronteira com a Argélia, informou uma autoridade militar do Conselho Nacional de Transição (CNT) nesta quarta-feira.

AP
Tropas do CNT são vistas ao fundo da bandeira da Líbia, reunidas em estrada que leva à cidade de Sirte

De acordo com Hisham Buhagiar, Kadafi estaria sob proteção de membros da tribo Touareg na cidade de Ghadamis, 550 km a sudoeste da capital, Trípoli. A comunidade nômade está espalhada por áreas de Níger, Líbia, Argélia e Chade.

Um porta-voz do CNT afirmou que há duas semanas o filho de Kadafi, Seif al-Islam, foi localizado em Bani Walid e chegou a negociar sua rendição. Porém, não houve acordo e o governo interino disse não saber se ele continua na cidade. Outro filho de Kadafi, Mutassem, estaria em Sirte.

As forças do CNT tomaram o controle de Trípoli e da maior parte do país no mês passado, mas Kadafi conseguiu fugir e seu paradeiro é desconhecido desde então. Sirte e Bani Walid ainda são controladas por forças leias ao líder deposto, e violentos confrontos acontecem nas duas cidades.

Na terça-feira, um dos principais comandantes das forças do CNT foi morto em um ataque com foguete em Bani Walid. "Dau al-Salihin Jadak morreu quando seguia para a área dos combates", declarou um porta-voz do conselho.

Natural de Bani Walid, 170 km ao sudeste de Trípoli, Dau al-Salihin Jadak permaneceu preso por 18 anos por ter participado em uma revolta contra Kadafi em 1993. Foi libertado em fevereiro, após o início da revolta contra o regime.

O novo governo líbio está sob pressão para acabar com os combates enquanto organizações humanitárias alertam para as duras condições dos civis em Sirte e Bani Walid.

Segundo a Cruz Vermelha, moradores têm mandado emails e telefonado implorando por ajuda, dizendo que faltam suprimentos médicos, água potável, gasolina e alimentos.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmou nesta terça-feira que cerca de 200 mil civis líbios ainda estão sob ameaça de forças pró-Kadafi, principalmente nas duas cidades. De acordo com o porta-voz da Otan, coronel Roland Lavoie, os partidários do líder deposto estão se escondendo em áreas residenciais e executando opositores.

Mensagem de Kadafi

O site da emissora Allibiya, a TV estatal do antigo regime, publicou nesta terça-feira a transcrição de uma suposta entrevista de Kadafi que teria sido transmitida em Bani Walid. O líder deposto voltou a dizer que permanece na Líbia e que deseja morrer como "mártir”.

"Há heróis que resistiram e caíram como mártires e nós também esperamos o martírio", disse Kadafi, em discurso para integrantes da tribo Warfala, que combatem as forças do CNT. "Vocês estão reeditando as façanhas dos seus antepassados. Saibam que estou no campo de batalha como vocês”, acrescentou.

“Estão mentindo quando afirmam que Kadhafi está na Venezuela ou em Níger. Estou com meu povo e nos próximos dias acontecerá um golpe inesperado contra este grupo.”

Com AP, AFP, Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabecntsirtebani walidotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG