Itália resgata 400 imigrantes próximo à ilha de Lampedusa

Mar agitado e ventos fortes empurraram barco em que líbios estavam contra pedras; segundo autoridades, todos a bordo foram salvos

iG São Paulo |

EFE
Trabalhador das equipes de emergência segura um bebê enquanto ajuda grupo de refugiados recém-chegados a Lampedusa
Cerca de 400 imigrantes líbios tiveram de ser resgatados pela Guarda Costeira italiana depois de o barco em que estavam ter se chocado contra a ilha italiana de Lampedusa, na madrugada deste domingo.

Imagens de TV do resgate dramático mostraram imigrantes pulando ou caindo no mar. Outros se seguraram em cordas dadas pelos guardas italianos para resgatá-los.

O mar agitado e ventos fortes empurraram o barco contra as pedras e jogou para fora alguns de seus passageiros. "Foi uma situação difícil. Nossos barcos de patrulham não puderam se aproximar porque o mar e a corrente estavam muito fortes", disse o porta-voz da Guarda Costeira Antonio Morana.

Todos a bordo, incluindo mulheres e crianças, foram salvos, segundo autoridades italianas.

Papa

O resgate aconteceu horas depois de o papa Bento 16 ter feito um apelo, em Veneza , aos católicos em prol de maior tolerância em relação aos imigrantes do norte da África. Na cidade italiana, cerca de 300 mil fiéis assistiram à missa de Bento 16. Papa pediu aos presentes para não temer o rejeitar as novas chegadas, mas, em vez disso, construir pontes entre povos e nações.

A ilha italiana tem sido destino de milhares de imigrantes, especialmente do norte da África, que deixam seus países em busca de melhores condições na Europa.

A grande leva de imigrantes ao continente europeu levou o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, a pedir ajuda a outros líderes europeus frente à crise humanitária.

Ao lado de Berlusconi, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu em 26 de abril uma reforma do Tratado de Schengen, que permite a livre circulação de pessoas entre a maioria dos países da União Europeia (UE).

A Itália desagradou os franceses ao dar vistos a milhares de imigrantes, permitindo que eles se dirijam a outros países europeus graças ao Tratado de Schengen. O destino final de muitos desses imigrantes - em especial dos tunisianos - é a França, onde têm parentes e conhecidos.

Tanto Berlusconi quanto Sarkozy enfrentam pressão política interna para restringir a entrada de estrangeiros, principalmente por parte de partidos de extrema direita que se opõem à imigração.

AP
Imigrantes resgatados chegam à praia da ilha de Lampedusa, na Itália
*Com AP

    Leia tudo sobre: lampedusaitáliaresgateimigrantesmundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG