Itália concede vistos temporários a imigrantes do norte da África

Medida não agradou autoridades da França, que temem onda de imigrantes em cidades francesas

iG São Paulo |

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, assinou nesta quinta-feira um decreto que autoriza a concessão de vistos temporários a imigrantes do norte da África que fugiram de seus países por conta dos recentes conflitos políticos.

O anúncio foi feito pelo ministro italiano da Defesa, Ignazio La Russa, e não agradou ao governo francês, que teme uma onda de imigração, já que, com os vistos, os imigrantes poderiam circular pela União Europeia (UE).

AP
Imigrante africano é resgatado por Guarda Costeira italiana ao chegar à ilha de Lampedusa
O ministro francês do Interior, Claude Gueant, destacou, no entanto, que os vistos concedidos por motivos humanitários não excluem a possibilidade dos imigrantes serem expulsos da França e reenviados à Itália. "Para circular pelo espaço Schengen, não basta ter apenas uma autorização de permanência de um dos Estados-membros, mas também são necessários documentos de identidade e, sobretudo, uma justificativa", disse Gueant, referindo-se ao Acordo de Schengen, que trata da política de circulação no bloco europeu.

Segundo o ministro, "[a França] se alegra que a Tunísia entre em uma era de liberdade e democracia, mas não pretende passar por uma onda de imigração de tunisianos, justificada estritamente por considerações econômicas".

A posição de Paris foi considerada "hostil" pelo ministro italiano do Interior, Roberto Maroni. Em um discurso no Senado, Maroni afirmou que, "levando em conta que a grande maioria das pessoas que chegou à Itália tenha declarado que quer ir, principalmente, para a França, achamos que é preciso existir uma iniciativa comum entre Itália e França para enfrentar o fenômeno, mas Paris registrou uma atitude hostil".

Validade

O ministro também explicou que os vistos serão válidos para quem chegou à Itália até quarta-feira passada.

A Itália, principalmente a ilha de Lampedusa, que fica ao sul do país, tem sido um dos principais destinos de cidadãos do norte da África que fogem de tensões em países como Egito, Líbia e Tunísia.

O alto fluxo de imigrantes fez com que os centros de acolhimento de Lampedusa ficassem superlotados e faltassem alimentos.

Na semana passada, o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, visitou o local e prometeu transferir os estrangeiros para outros centros do país.

*Com Ansa

    Leia tudo sobre: tunísiaegitofrançaberlusconiimigrantesitália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG