Governo da Líbia planeja sepultar Kadafi em local secreto

Lideranças interinas não divulgaram local onde líder deposto será enterrado; corpo está em freezer comercial em Misrata

iG São Paulo |

O governo interino da Líbia informou que o corpo do líder líbio deposto Muamar Kadafi será sepultado em um local secreto, mas ainda não há uma data clara para o enterro porque as autoridades do Conselho Nacional de Transição (CNT) não sabem onde e como ele deve ocorrer.

O corpo de Kadafi é mantido em um freezer comercial em um centro de compras em Misrata, a cidade para onde ele foi levado depois de sua captura na cidade de Sirte.

AP
Líbio bate com sapato em imagem do rosto de Muamar Kadafi pichado em muro em Ras Ajdir, na fronteira da Líbia com a Tunísia (20/10)

Enquanto as autoridades decidem sobre o destino do corpo de Kadafi, as comemorações pela morte do líder líbio deposto continuaram durante a noite em todo o país. Nas ruas da capital, Trípoli, centenas de pessoas levaram bandeiras do país e cantaram gritos de louvor a Deus.

Ao mesmo tempo, muitos se perguntam a respeito dos próximos passos do país, que há até pouco tempo sequer podia imaginar que deixaria de ser governado por Kadafi.

Ainda há dúvidas sobre as circunstâncias exatas da morte do coronel . O premiê interino Mahmoud Jibril disse que o líder deposto da Líbia morreu em meio a uma troca de tiros entre seus simpatizantes e combatentes do CNT.

Segundo Jibril, Kadafi - que governou a Líbia por 42 anos - foi capturado vivo, mas morreu de ferimentos a bala antes de ser levado ao hospital. O governo nega que o líder líbio deposto tenha sido executado, mas imagens de vídeo sugerem que o corpo foi arrastado pelas ruas e agredido.

Antes, alguns combatentes anti-Kadafi haviam dado uma versão diferente, alegando que o coronel tinha levado tiros ao tentar escapar.

Um combatente leal ao CNT da Líbia disse à BBC que encontrou Kadafi em um buraco em Sirte e que o ex-líder teria pedido que ele não atirasse. O combatente brandia uma pistola dourada que dizia ter pertencido a Khadafi.

Mohammed Sayed, integrante do CNT, disse à BBC que duvida que ocoronel tenha sido morto intencionalmente, mas acrescentou que "mesmo se ele foi morto intencionalmente, acho que ele mereceu".

"Mesmo se ele tivesse sido morto mil vezes, acho que não vai pagar aos líbios o que ele fez. Nós perdemos mais de 70 mil de nossos melhores homens por causa deste monstro."

Há relatos de que Mutassim Kadafi, filho do coronel e ex-conselheiro de segurança nacional, também teria morrido na ofensiva. Um jornalista, junto com a agência de notícias Reuters, descreveu como o corpo de Mutassim foi colocado em cima de cobertores no chão de uma casa em Misrata enquanto o público tentava tirar fotos com seus telefones celulares.

Quanto a Saif al-Islam, outro filho de Kadafi, os relatos são conflitantes. O ministro da Justiça interino, Mohammad al-Alagi, disse à Associated Press que ele havia sido capturado e levado ao hospital com um ferimento na perna. Mas outro representante do CNT afirmou que o paradeiro de Saif al-Islam é desconhecido.

No campo internacional, acredita-se que a Otan, que deve realizar uma reunião nas próximas horas, anuncie o fim de sua ofensiva aérea na Líbia. O secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, disse que, com a morte de Kadafi, "esse momento (de encerramento da campanha militar) ficou muito mais próximo".

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou nesta sexta-feira que "claramente, a operação está chegando ao fim".

Líderes estrangeiros, como o presidente americano, Barack Obama, e o premiê britânico, David Cameron exaltaram a captura de Kadafi e pediram união à Líbia.

Com BBC

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabemorte de kadafiotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG