Forças iemenitas bombardeiam cidade tomada por militantes ligados à Al-Qaeda

Segundo moradores, ruas da cidade costeira de Zinjibar se tornaram palco de violentos enfrentamentos; repressão contra opositores em Taiz deixou ao menos 22 mortos

iG São Paulo |

Forças iemenitas bombardearam a cidade costeira de Zinjibar, na tentativa de minar ações de militantes islâmicos ligados à Al-Qaeda que intensificaram o controle sobre a região no domingo, tomando bancos e um prédio do governo. 

AFP
Manifestantes contrários ao governo pedem saída do presidente Ali Abdullah Saleh, em Sanaa
De acordo com moradores de Zinjibar, capital da província de Abyan, aviões militares das forças iemenitas bombardearam alvos de militantes islâmicos desde o ínicio desta segunda-feira. A maioria da população de Zinjibar deixou a cidade, cujos prédios públicos já foram ocupados por radicais islâmicos em outras ocasiões. De acordo com testemunhas, as ruas da cidade se transformaram em cenário de lutas violentas entre as tropas e os insurgentes.

À entrada de Zinjibar, ao menos cinco militares morreram nesta segunda-feira, entre eles um oficial, e outros 13 ficaram feridos ao caírem em uma emboscada realizada por homens armados. Os militares faziam parte de um comboio que se dirigiam a Zinjibar a partir do Áden. Além dessas baixas, outros dois soldados morreram em confrontos em um posto militar da cidade que estava cercada por insurgentes desde a sexta-feira.

Moradores de Zinjibar afirmaram que homens armados de diferentes tribos de Abyan estavam lutando contra as unidades do Exército contra os radicais islâmicos e supostos combatentes da Al-Qaeda que tentam manter o controle da localidade.

O ataque aéreo e de artilharia das forças militares leais a Saleh ocorreu após chefes militares que passaram às fileiras da oposição terem sido acusados de entregar Zinjibar a grupos terroristas.

Para grupos oposicionistas e diplomatas, Saleh se aproveita da ameaça da Al-Qaeda para conquistar apoio e ajuda de potências regionais que procuram a ajuda de seu governo para combater os militantes. Analistas observam que há temores crescentes de que a Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP), que tem sua base no Iêmen, explore a instabilidade no país para se fortalecer.

Sul

Na cidade de Taiz , no sul do país, policiais iemenitas entraram em choque com opositores que saíram às ruas para protestar contra o governo. Os choques deixaram ao menos 22 mortos. Segundo testemunhas, forças de segurança chegaram a usar fogo real para dispersar os manifestantes.

A ação policial, que começou na noite de domingo, prolongou-se durante a madrugada de domingo para segunda-feira na Praça da Liberdade do centro da cidade, onde havia opositores do regime de Saleh.

Sanaa, capital do país, continua a ser palco de manifestações políticas exigindo a renúncia do presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh , no poder desde a unificação do país entre o norte e o sul, em 1990.

*Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: iêmenchoquesoposiçãoforças de segurançaal-qaeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG