Forças do governo interino líbio invadem base pró-Kadafi em Sirte

Queda da cidade é crucial para o estabelecimento de um cronograma para eleições, segundo líderes do Conselho Nacional de Transição

iG São Paulo |

Forças do governo interino líbio tomaram nessa sexta-feira um centro de convenções em Sirte onde os partidários de Muamar Kadafi teriam estabelecido sua base principal. Os comandantes da operação na cidade natal do líder deposto garantem que essa ação representou uma ofensiva final ao reduto após semanas de intensas batalhas.

AP
Forças do CNT trocam de posição enquanto atacam partidários de Muamar Kadafi em Sirte

As forças do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão que governa a Líbia, realizam incursões na cidade localizada na costa mediterrânea pelo oeste, leste e sul, para encurralar as forças dos partidários do antigo regime. Os dois lados usaram foguetes, morteiros e tanques, enquanto francoatiradores de Kadafi matam os combatentes, conforme eles avançavam em seus complexos. Os fiéis ao líder deposto controlam prédios altos no centro da cidade e usam os telhados para se posicionar estratégicamente contra os ataques.

Segundo a Associated Press, pelo menos oito agentes revlucionários foram mortos e 125 ficaram feridos. Ambulâncias se dirigiam na avenida principal de Sirte a caminho do hospital localizado a oito quilômetros do centro. Os médicos afirmaram que um comandante de alto escalão, Ali Saeh, da Brigada da Líbia Livre, estava ferido depois de ter tomado dois tiros.

A cidade é considerada uma das mais crucias que ainda estão sob o poder de partidários de Kadafi mais de um mês depois que os ex-rebeldes tomaram Trípoli e afastaram o então líder do poder. Líderes do governo interino disseram que uma vez que Sirte cair, eles podem pensar em estabelecer um cronograma para as eleições. De acordo com a BBC, algumas tropas do CNT estão a menos de 1 km do centro da cidade.

O coronel Abdel Salam Gadallah disse que três quartos da cidade estavam em poder das forças do CNT. "Se Deus quiser, em dois dias no máximo, toda a cidade de Sirte estará livre."

A intesificação dos ataques acontece um dia depois de Kadafi ter deixado uma mensagem em áudio transmitido pela TV síria Al-Rai. O líder deposto pediu ao povo líbio que tome as ruas e faça uma campanha de desobediência civil contra o novo governo do país.

Ele afirmou também que o CNT não tem legitimidade, porque não foi nomeado pela população. "Sejam corajosos, levantem-se, tomem as ruas", afirmou. "Agitem a bandeira verde no céu. As condições na Líbia estão insuportáveis".

Também a quinta-feira, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) entregou suprimentos médicos e outros produtos aos civis em Sirte. Dibeh Fakhr, porta-voz do CICV, afirmou que dois caminhões entraram na cidade e distribuiram, leite em pó, kits de higiente, fraldas e água potável.

Essa foi a terceira vez que o CICV entrou na cidade da costa mediterrânea desde sábado, mas pela primeira vez, os voluntários conseguiram chegar ao hospital. Centenas de famílias estão deixando a cidade para escapar da violência e centenas montaram um campo de refugiados nas cercanias de Sirte, o que aumenta a preocupação quanto a uma crise humanitária. As forças revolucionárias disseram ter adiado as batalhas mais pesadas para dar um tempo maior para os civis deixarem o local. "Sirte está virando uma cidade fantasma", afirmou Salin Omar, um residente, que passou por um posto de vistoria do CNT.

A Cruz Vermelha chegou ao hospital Ibn Sina na manhã de quinta, depois de ter a certeza, dos dois lados do conflito, que a passagem seria segura. Eles retiraram três pacientes que estavam gravemente feridos, incluindo uma menina de nove anos. "Há somente três médicos dentro do hospital - um anestesista, um cirurgião e um ortopedista - e alguns estudantes de medicina estão tentado ajudar", relatou a porta-voz.

Ela não conseguiu precisar o número de civis que ainda permanecem em Sirte e disse que a maioria dos moradores que deixam a cidade o fazem pelo leste.

Com AP

    Leia tudo sobre: líbiakadafinígersirtecruz vermelha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG