Forças do governo interino da Líbia tomam aeroporto de Sirte

Combatentes do Conselho Nacional de Transição controlam o aeroporto da cidade natal de Muamar Kadafi

iG São Paulo |

As forças do governo interino líbio tomaram nesta quinta-feira o aeroporto de Sirte, a cidade natal de Muamar Kadafi, em uma situação de cada vez mais tensão entre os civis que estão no interior do município sitiado.

Reuters
Combatentes do CNT líbio tomaram o controle do aeroporto da cidade de Sirte, local de nascimento de Muamar Kadafi

Os combatentes do Conselho Nacional de Transição (CNT) tomaram pleno controle do aeroporto de Sirte, disseram testemunhas da Reuters. Segundo a BBC, as forças entraram no local, que está parcialmente destruído, derrubando símbolos do regime de Kadafi. Os simpatizantes do ex-líder líbio em Sirte usaram fogo de artilharia, foguetes e atiradores para combater duas grandes incursões do CNT sobre a cidade na semana passada.

Os dois lados acusam o outro de colocar civis em perigo. "Eles estão lançando bombas constantemente. Há fogo indiscriminado dentro de alguns bairros e de uma área para outra", disse à Reuters Hassan, um morador que fugiu da cidade.

Civis têm fugido de Sirte, município costeiro com 100 mil habitantes que também está sob ataque aéreo da Otan. As autoridades líbias pediram que a Organização das Nações Unidas (ONU) ajude as ambulâncias a retirar os feridos, segundo afirmou uma fonte da ONU na Líbia.

As agências de ajuda humanitária advertiram na quarta que Sirte está perto de um desastre humanitário, em meio ao aumento das mortes e da redução dos suprimentos de água, eletricidade e de alimentos.

Os combates nas regiões leste e oeste de Sirte eram menos intensos na quinta em comparação com os dias anteriores, mas o CNT afirmou ter aberto um caminho entre os dois fronts permitindo a união de suas forças - um reforço estratégico junto com a retomada do aeroporto.

Segundo informações da agência Associated France-Press, Musa Ibrahim, porta-voz do regime de Kadafi, foi capturado nesta quinta nos arredores de Sirte. "Os combatentes de Misrata nos contataram para anunciar que Musa Ibrahim foi capturado", disse Mustafah ben Dardef, da brigada de Zente no CNT, cujo anúncio foi confirmado pelo comandante Mohammed al Marimi.

Mais de um mês depois de os combatentes do CNT terem capturado a capital Trípoli, Kadafi permanece fugitivo, tentando organizar a resistência aos que colocaram fim ao seu governo que durava 42 anos. Alguns membros de sua família, porém, se refugiaram na Argélia e no Níger.

A Interpol emitiu nesta quinta um alerta pedindo a prisão de Saadi , o filho de Kadafi que fugiu para o Níger há três semanas. A agência policial com sede em Lyon disse que agia a pedido do CNT, que acusa Saadi de liderar unidades militares responsáveis por reprimir manifestantes e de apropriação ilegal.

A Justiça da Tunísia recebeu um mandato de extradição internacional contra o ex-premiê líbio Baghadi al-Mahmufi , solicitado pelas autoridades líbias por meio da Interpol, informou a agência EFE.

O conselheiro especial do ministro da Justiça tunisiano, Kadhem Zine El Abidine, afirmou que o procurador da República da Tunísia pediu a continuação da detenção de Al-Mahmudi, de acordo com mandato de extradição impetrado pela Justiça líbia, devido sua partipação em infrações contra a lei de seu país. "Essa medida aplicada ao ex-primeiro-ministro tem um período de aplicação legal de 30 dias em virtude dos acordos em matéria de Justiça entre os dois países", disse o conselheiro.

Por conta disso, o ex-premiê deve continuar na prisão, enquanto seu caso é estudado. Khadhem acrescentou que Al-Mahmudi foi informado nesta quinta sobre sua situação pelo promotor do tribunal de primeira instância que terá de decidir sua extradição. O porta-voz do Ministério da Jusiça, Chukri Masti afirmou que o ex-premiê começou uma greve de fome na quarta, e que continua na prisão de Monarguía, situada nos arredores de Túnis.

Em 22 de setembro, Al-Mahmudi tinha sido condenado na Tunísia a seis meses de prisão por ter entrado ilegalmente no país. Entretanto, cinco dias depois, o Tribunal de Apelação da cidade de Tozeur, a 480 km ao sul da capital tunisiana, ordenou sua libertação sem acusações. Essa medida coincidiu com a emissão de ordem de extradição das autoridades judiciais líbias.

Com AFP, EFE e Reuters

    Leia tudo sobre: líbiaaeroportosirtekadafimundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG