Filho de Kadhafi afirma que bombardeios pretendiam "assustar" rebeldes

"As bombas eram apenas para assustar, para que fossem embora", afirmou Saif al-Islam

AFP |

Os bombardeios contra o porto de Brega tinham a intenção de "assustar" os rebeldes que lutam contra o líder líbio Muamar Kadhafi, afirmou o filho mais conhecido do ditador, Saif al-Islam, em entrevista ao canal britânico Sky News.

"As bombas eram apenas para assustar, para que fossem embora", disse. "Ali não há cidade, a cidade de Brega fica a quilômetros de distância. Estou falando do porto, onde há apenas uma refinaria de petróleo", completou.

Saif al-Islam deixou claro que o regime fará de tudo para evitar que o porto passe ao controle dos rebeldes.

"É o eixo do petróleo e gás líbios. Todos nós comemos, vivemos, graças a Brega. Sem Brega, seis milhões de pessoas ficarão sem futuro, porque desta região exportamos nosso petróleo". "Eram milicianos e estavam filmando. Eles chegaram com três tanques e metralhadoras. Há uma linha vermelha, não podem controlar o porto. Lamento"."Ninguém permitirá que as milícias controlem Brega, que seria como permitir a alguém controlar o porto de Rotterdã", disse.

Os rebeldes conseguiram responder ao ataque do regime na madrugada de quarta-feira, na primeira batalha militar real desde o início dos protestos na Líbia, em 15 de fevereiro. O filho de Kadhafi advertiu ainda que o regime não vai tolerar mais protestos. "Tudo será feito para deter qualquer um, para trazer de volta a paz e a ordem".

    Leia tudo sobre: LíbiaPolíticaViolênciaCombates

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG