Apesar de afirmar que a situação no país é "excelente", Seif el Islam assumiu que serão necessárias reformas

Seif el Islam, filho do líder líbio Muammar Kadafi, afirmou neste sábado que existe "uma vontade interior de mudança" no país. Em uma entrevista à emissora "Al Arabiya", em que diz que a situação na Líbia é "excelente", o mais provável sucessor do atual ditador caso não houvesse queda do regime reconheceu que existiram "erros na gestão da crise" e assegurou que "é preciso uma negociação amistosa para fazer uma nova Líbia".

Saif defendeu que a situação é excelente na maior parte do país, mas assumiu que serão necessárias mudanças
Reuters
Saif defendeu que a situação é excelente na maior parte do país, mas assumiu que serão necessárias mudanças

"Não há futuro para os líbios à margem da reconciliação, já que é preciso construir a Líbia de amanhã", disse.  Além disso, anunciou "mudanças em todas as esferas" da administração e ressaltou que o país está "em um cruzamento de caminhos" e que "é preciso construir uma nova Líbia".

"A situação em três quartos do país, que representam a metade da população, é normal, excelente", sustentou e acrescentou que a incitação à revolta "vem do exterior, mas há uma vontade interior de mudança".

Opositor diz que queda está próxima

Para a oposição, no entanto, o território que continua pacífico é bem menor. Fathi Tarbul, membro do comitê popular que controla Benghazi e um dos líderes da revolta popular, assegurou neste sábado que as Forças leais a Kadafi controlam apenas 15% do país. "Kadafi está vivendo os últimos momentos e esperamos o final de seu regime nos próximos dias", afirmou Tarbul, um advogado de 39 anos, que foi detido no dia 15 de fevereiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.