Filho de Kadafi é suspeito de ter plagiado tese de doutorado

London School of Economics investiga se Saif al-Islam copiou tese de 428 páginas sobre papel da sociedade civil em instituições

iG São Paulo |

AP
Saif Al-Islam Kadafi, filho do presidente líbio (foto de arquivo)
A London School of Economics (LSE) confirmou nesta terça-feira que investiga se Saif al-Islam Kadafi, filho do líder líbio, Muammar Kadafi, plagiou sua tese de doutorado.

"A LSE está sabendo das denúncias de plágio no que diz respeito à tese de doutorado de Saif al-Islam Kadafi. A escola trata as denúncias de plágio com muita seriedade, e está observando o assunto conforme os procedimentos da LSE", assinalou nesta terça-feira um porta-voz da instituição, onde Saif concluiu os estudos em 2008.

O filho de Kadafi escreveu em Londres sua tese de doutorado, de 428 páginas, intitulada O Papel da Sociedade Civil na Democratização das Instituições de Governança Global, publicada com o pseudônimo de Alqadhafi.

O diretor da LSE, Howard Davies, admitiu na segunda-feira sentir-se envergonhado pelos vínculos da escola com a família Kadafi. Davies afirmou que a decisão da LSE de aceitar 300 mil libras (354 mil euros) da Fundação Internacional Kadafi para o Desenvolvimento e Caridade foi muito debatida na instituição.

Segundo Davies, Saif, coordenador da fundação, era visto na LSE como um modernizador.

Revolta na Líbia

Nesta terça-feira na Líbia, forças leais a Kadafi tentaram retomar o controle da cidade de Zawiya , localizada a 50 km da capital, Trípoli, mas foram impedidos pela oposição. Segundo testemunhas, a cidade foi atacada durante a madrugada desta terça-feira e os confrontos duraram seis horas. Não há informações sobre mortos.

De acordo com a agência AP, os dois lados combateram usando as mesmas armas: tanques, metralhadoras e canhões. Entre o grupo opositor havia militares que desertaram e passaram a apoiar o movimento contra Kadafi.

Também nesta terça-feira, Kadafi deslocou forças de segurança para a fronteira oeste, um dia depois de os Estados Unidos terem ordenado um reposicionamento das forças militares americanas na região. As tropas líbias reforçaram sua presença na remota localidade de Dehiba, na fronteira com a Tunísia, decorando o posto de passagem com as bandeiras verdes do país.

Para aumentar a pressão sobre Kadafi, os EUA também bloquearam bens do líder e de sua família, no valor de US$ 30 milhões. O subsecretário do Tesouro para terrorismo, David Cohen, afirmou que a quantia foi a maior já bloqueada pelo órgão. A ordem de congelar os bens havia sido assinada por Obama na sexta-feira, em resposta à violenta repressão aos protestos antigoverno.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: líbiasaif al-islamkadafirevoltaplágiolse

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG