Ex-presidente egípcio Hosni Mubarak tem câncer, diz advogado

Líder deposto, cujo julgamento deve começar em agosto, tem câncer de estômago, segundo Farid Al Dib

iG São Paulo |

O ex-presidente egípcio Hosni Mubarak, de 83 anos, cujo julgamento pela repressão sangrenta de manifestações e corrupção deve começar em agosto , sofre de um câncer de estômago, declarou nesta segunda-feira à AFP seu advogado Farid Al Dib. "Tem um câncer de estômago, e os tumores se multiplicam", afirmou.

AFP
Foto sem data mostra Mubarak, a mulher Suzanne e os filhos Gamal (D) e Alaa (E)
Segundo a BBC, para alguns jornalistas o advogado de Mubarak afirmou que ele está com câncer, mas para outros ele informou que o ex-presidente egípcio apresenta sintomas que poderiam ser de câncer. Durante anos circularam boatos no Egito a respeito da saúde de Mubarak, mas as autoridades sempre negaram que o ex-presidente tivesse alguma doença grave.

O ex-chefe de Estado, de 83 anos, hospitalizado desde 13 de abril por causa de problemas cardíacos surgidos durante um interrogatório, sofreu em março de 2010 uma ablação da vesícula biliar e foi submetido à retirada de um pólipo do duodeno em uma clínica de Heidelberg, na Alemanha.

O julgamento do ex-presidente e seus dois filhos terá início em 3 de agosto. Os três vão ser julgados no tribunal penal do norte do Cairo pelo assassinato de manifestantes e acusações de corrupção.

Mubarak e seus filhos Gamal e Ala podem ser sentenciados à morte se condenados pela morte dos manifestantes. Seus filhos, além de outros 20 nomes do governo Mubarak, estão detidos na prisão de Tora, no Cairo. O ex-presidente está hospitalizado no balneário de Sharm el-Sheik, na Península do Sinai.

Abusos

Acredita-se que mais de 800 pessoas tenham sido mortas durantes os 18 dias de protestos no Egito, no início do ano, que tiveram como centro a Praça Tahrir, no Cairo, e que levaram à renúncia de Mubarak em 11 de fevereiro. Milhares de ativistas ficaram feridos.

Organizações de direitos humanos e pró-democracia acusam as forças de segurança do Egito de terem sido violentas e praticado tortura durante os protestos.

Em maio, integrantes do governo de transição egípcio disseram que Mubarak está muito doente para ser transferido do hospital em Sharm el-Sheik para uma prisão. Mubarak já foi multado em US$ 34 milhões por ter ordenado o corte das transmissões de celulares durante o levante.

*Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: egitohosni mubarakcairopraça tahrirjulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG