Exército sírio detém opositores e atira contra moradores de Homs

Segundo testemunhas, tanques invadiram bairros da cidade que é palco de alguns dos mais intensos protestos contra o governo

iG São Paulo |

Forças de segurança da Síria percorreram nesta quinta-feira bairros da cidade de Homs atirando com metralhadoras e detendo moradores, afirmaram ativistas. Fumaça podia ser vista em pelo menos uma área da cidade, palco de alguns dos mais intensos protestos contra o presidente Basharl Al-Assad, que começaram há quatro meses.

Rami Abdul-Rahman, diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, que tem sede em Londres, afirmou que tanques de guerra invadiram os bairros de Bab Dreib e Bab Sbaa, onde tiros e explosões foram ouvidos.

Pelo menos uma casa teria sido queimada e as telecomunicações teriam sido cortadas em partes da cidade, segundo Absul-Rahman, que não soube precisar quantas pessoas foram detidas.

Ativistas disseram à agência Reuters que o Exército invadiu casas e disparou contra fiéis que deixavam a mesquita de Khaled Ibn al Walid, no bairro de Khalidiya, leste da cidade. "Estamos muito assustados", disse um morador de Homs que se identificou apenas como Ahmed.

Testemunhas disseram também que moradores estão usando os altofalantes das mesquitas para pedir doações de sangue aos hospitais, por causa do grande número de feridos.

No sábado, confrontos entre opositores e partidários do regime tomaram a cidade de maioria sunita, onde coabitam a comunidade alauita - ramo do xiismo à qual pertence Bashar al-Assad - e a cristã.

Organizações de direitos humanos afirmam que pelo menos 1.400 civis já foram mortos desde que os protestos contra Assad começaram, em março.

As autoridades sírias atribuem a violência no país a grupos armados ligados a militantes islâmicos, e dizem que pelo menos 500 soldados e policiais já foram mortos desde março.

Com Reuters e AP

    Leia tudo sobre: síriahomsprotestosmundo árabebashar al-assad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG