Enviado dos EUA pede transferência de poder imediata no Iêmen

Conselheiro da Casa Branca foi ver presidente Saleh no hospital e pediu que cumpra promessa de assinar acordo

EFE |

O conselheiro para a luta antiterrorista da Casa Branca, John Brennan, pediu neste domingo ao presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, que comece imediatamente a transferência de poder no país, depois de se reunir com o líder em Riad, onde ele se recupera dos ferimentos sofridos em um atentado em 3 de junho.

AFP
Manifestantes exigem renúncia de Saleh em Sanaa
Segundo um comunicado divulgado pela Embaixada americana em Sana, o emissário do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reivindicou a Saleh que "cumpra sua promessa de assinar o acordo aprovado pelos países do Conselho de Cooperação do Golfo para começar a transferência constitucional e política no Iêmen".

A proposta do Conselho estipula uma transferência do poder ao vice-presidente, Abdo Rabu Mansur Hadi, no prazo de um mês após sua assinatura e a realização de eleições dois meses depois. Segundo a nota, o enviado americano disse que seu país está trabalhando com as nações do Golfo Pérsico e Europa "para assegurar o fluxo de ajuda financeira ao Iêmen imediatamente após a aplicação da iniciativa do Golfo".

A emissora de televisão estatal iemenita mostrou imagens da reunião no hospital militar de Riad nas quais Saleh aparece com as mãos engessadas e o rosto em aparente recuperação das queimaduras sofridas no atentado contra seu palácio presidencial, no qual morreram sete seguranças e vários dirigentes ficaram feridos. Segundo o canal, Brennan transmitiu a Saleh uma mensagem de Obama, que desejou sua rápida recuperação e condenou o atentado terrorista do qual saiu ferido.

A televisão informa ainda que Saleh teria reiterado que a transferência pacífica do poder deve ser realizada no marco da democracia e segundo a Constituição. Além disso, disse que a iniciativa dos países do Conselho de Cooperação do Golfo "representa uma base para sair da crise atual, mediante um diálogo nacional que inclua todas as forças políticas para garantir os interesses nacionais e manter a união nacional".

A reunião de Brennan e Saleh acontece no mesmo dia em que a plataforma opositora iemenita Encontro Partilhado, que agrupa seis partidos, fez um chamado à intensificação dos protestos que reivindicam a queda do regime de Saleh. Além disso, o grupo também pediu aos manifestantes que se unam, organizem-se e intensifiquem seus esforços, no que qualificou de "escalada revolucionária pacífica" até o fim do regime de Saleh.

    Leia tudo sobre: IÊMENsalehenviado dos EUA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG