Eleição amplia poder da oposição no Parlamento do Kuwait

Votação dá 34 das 50 cadeiras do órgão para candidatos opositores, a maioria islâmicos; nenhuma mulher é eleita

iG São Paulo |

Grupos de oposição saíram fortalecidos das eleições parlamentares do Kuwait , conquistando 34 das 50 cadeiras disputadas, segundo resultados oficiais divulgados nesta sexta-feira. A votação deixou o Parlamento do país, que antes tinha quatro mulheres, sem nenhuma representante feminina.

De acordo com autoridades, 14 assentos foram para candidatos islâmicos ligado à Irmandade Muçulmana do Egito, 20 para os que defendem a obediência tribal, nove para candidatos liberais e sete para sunitas que costumam apoiar a família que governa o Kuwait. O Parlamento anterior, dissolvido em dezembro pelo emir, era dividido quase igualmente entre governo e oposição.

Embora a família que governa o Kuwait tenha a última palavra em todos os assuntos importantes, o Parlamento do país tem mais poder do que qualquer outra instituição eleita no Golfo e os parlamentares da oposição podem criticar abertamente o governo.

O resultado da eleição mostra a crescente pressão contra a família que governa o Kuwait após meses de crise política que incluíram um escândalo de corrupção envolvendo várias autoridades. No ano passado o governo também enfrentou protestos inspirados nas revoltas populares de outros países árabes, como Egito e Tunísia.

A eleição desse ano teve a participação de 62% dos eleitores, um crescimento de quatro pontos percentuais em relação à votação anterior. Mais de 400 mil estavam aptos a votar em 543 centros eleitorais e escolher entre 280 candidatos - sendo 23 mulheres.

De acordo com observadores árabes, a votação ocorreu de forma tranquila, sem incidentes graves. Um forte esquema de segurança foi montado nos colégios eleitorais – que são específicos para homens ou mulheres -, mas o governo não informou o número de agente mobilizados.

O Crescente Vermelho, voluntários e 300 observadores organizados pelo grupo Kuwait Transparency Society, apoiados por cerca de 30 observadores internacionais da rede árabe, verificaram a regularidade da votação.

Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: mundo árabekuwaitemirprimavera árabeeleição no kuwait

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG