Egito liberta blogueiro que está sob investigação

Alaa Abd El Fattah foi preso em outubro depois dos conflitos entre as Forças Armadas e manifestantes no Cairo

Reuters |

Autoridades egípcias libertaram um proeminente blogueiro detido sob acusação de incitar a violência contra as Forças Armadas, disse uma fonte da corte judicial neste domingo, acrescentando que o caso ainda está sendo investigando.

Entenda o caso: No Egito, apelo conservador transcende religião

A força da rede: Internet favorece mobilização apartidária em regimes fechados

Divulgação
O blogueiro Alaa Abd El Fattah, preso em outubro
Os promotores militares prenderam Alaa Abd El Fattah em outubro depois de conflitos entre as forças armadas e manifestantes na região central do Cairo.

A prisão revoltou ativistas que viram a medida como parte de um conflito maior. A pressão é crescente sobre os generais que governam o Egito, em substituição ao presidente deposto Hosni Mubarak em fevereiro, para que se entregue o poder a presidente eleito.

O blogueiro recusou-se a ser interrogado por promotores militares sobre "incitação à violência e sabotagem" em conexão com os protestos em 9 de outubro, quando mais de 25 pessoas foram mortas.

Ele disse que o exército não tinha direito de interrogá-lo e que falaria apenas com um oficial civil, levando a sua prisão.

O caso foi então transferido sob pressão de grupos de direitos humanos para a promotoria geral. A decisão proíbe Abd El Fattah de deixar o país durante a investigação.

"A coisa mais importante é que Alaa quebrou a imposição da junta militar, ele recusou a interrogação por promotores militares e isso não aconteceu", disse o ativista Amr Ezzat no Twitter após a libertação de Abd El Fattah.

Abd El Fattah será liberado ainda com pendências na investigação de seu caso, apontou a corte sem dar mais detalhes.

(Reportagem de Tamim Elyan)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG