Egípicios lotam praça Tahrir para comemorar uma semana sem Mubarak

Manifestantes celebram renúncia no local que serviu de epicentro dos protestos antigoverno por 18 dias

iG São Paulo |

Milhares de egípcios estão reunidos na praça Tahrir, no centro do Cairo, para uma "marcha da vitória" convocada para celebrar a queda do líder Hosni Mubarak, que renunciou ao cargo de presidente há uma semana.

"É uma festa, estamos muito felizes, Mubarak foi embora", disse Naser Mohamed, 50 anos, um dos manifestantes. "Acho que vamos voltar todas as semanas, todas as sextas-feiras".

AP
Milhares vão à praça Tahrir para celebrar a queda de Hosni Mubarak, que renunciou ao cargo de presidente do Egito há uma semana

A praça está cercada por tanques do exército e por um cordão militar. Os soldados checavam a identidade dos manifestantes nos diferentes pontos de acesso ao local. Membros dos comitês popularestambém ajudavam no controle de segurança.

A dimensão da marcha, na qual também serão lembradas as 365 pessoas que morreram nos 18 dias do levante popular que abalou o Oriente Médio, será uma demonstração do poder do povo egípcio, bem como do sentimento da nação sobre o processo de transição para um regime de governo civil.

Num momento em que os militares enfrentam exigências como a de libertação de presos políticos e remoção do estado de emergência, depois de dissolverem o Parlamento e suspenderem a Constituição, todos os olhos também estarão voltados para o modo como o Conselho Superior Militar policiará a manifestação.

Renúncia

Mubarak renunciou ao cargo que ocupava há 30 anos após 18 dias de manifestações contra o seu governo. O anúncio da renúncia foi feito pelo vice-presidente egípcio, Omar Suleiman, horas depois de ser divulgada a notícia de que Mubarak e sua família tinham deixado a capital do país, Cairo, em direção à cidade egípcia de Sharm el-Sheik.

"Nessas circunstâncias difíceis pelas quais o país está passando, o presidente Hosni Mubarak decidiu deixar a posição da presidência", disse Suleiman. "Ele encarregou o Conselho das Forças Armadas a dirigir as questões de Estado."

Reunidos na Praça Tahrir, que virou símbolo dos protestos, centenas de milhares de manifestantes explodiram em gritos de emoção com a notícia. Enquanto a multidão gritava "O Egito está livre!" e "Deus é grande!", também era possível ouvir carros buzinando em celebração.

Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: egitoprotestoshosni mubarakmundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG