Crise na Tunísia levou mais de 4 mil imigrantes ilegais à Itália

Guarda Costeira italiana disse que 970 mil norte-africanos desembarcaram na ilha de Lampedusa somente nas últimas horas

EFE |

Fontes da Guarda Costeira da Itália informaram neste domingo que 970 imigrantes procedentes do Norte da África, em sua maioria da Tunísia, chegaram nas últimas horas à ilha italiana de Lampedusa, onde nos últimos dias mais de 4 mil imigrantes ilegais já desembarcaram.

O fluxo de embarcações rumo à ilha continuou com a chegada de 12 barcos desde meia-noite, depois de o governo italiano decretar no sábado "estado de emergência humanitário" por causa do êxodo em massa que está ocorrendo na Tunísia, após as revoltas populares que tiraram do poder local o ex-líder Zine el-Abidine Ben Ali.

Uma das precárias embarcações que foi interceptada no mar pelas autoridades italianas quando viajava para Lampedusa acabou sendo destroçada logo depois que agentes da Guarda Costeira conseguiram resgatar os 107 ocupantes, entre eles três mulheres.

De modo simultâneo à chegada das embarcações, as autoridades italianas transferem os imigrantes ilegais que já estavam na ilha por navio ou avião a centros de assistência humanitária de outros lugares da Itália, pois o de Lampedusa permanece fechado há dias.

"Apreciamos que os imigrantes tenham sido amparados em território italiano e esperamos que continue sendo assim, mas, ao mesmo tempo, surpreende que, em tal situação de emergência, um centro de auxílio para acolher milhares de imigrantes como o de Lampedusa não esteja disponível", diz Laurens Jolles, representante regional do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), em declarações ao diário La Repubblica neste domingo.

Por enquanto, o êxodo em massa de imigrantes tunisianos rumo ao litoral italiano já deixou um morto e um desaparecido, após o naufrágio de uma embarcação no sábado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG