Segundo as Nações Unidas, 150 corpos foram encontrados; barco que vinha da Líbia levava 850 a bordo

Corpos de 150 imigrantes que fugiam da crise na Líbia foram recuperados próximo à costa tunisiana, depois que o barcos que transportava ilegalmente os refugiados em direção à Europa enfrentou dificuldades e acabou naufragando.

De acordo com o porta-voz da agência para refugiados das Nações Unidas (Acnur) Adrian Edwards, entre os corpos havia os de muitas crianças e mulheres.

No incidente de quarta-feira, que parece ser um dos “mais mortais no Mediterrâneo recentemente”, ao menos 578 imigrantes de um total de 850 a bordo conseguiram ser resgatados e sobreviveram.

As operações de busca por mais corpos continuam, de acordo com a Acnur.

Os barcos tiveram problemas na quinta-feira, a cerca de 20 quilômetros de Kerkennah, quando tentavam tentar chegar à Itália. Guardas costeiras e forças militares da Tunísia conseguiram resgatar resgataram mais da metade das pessoas a bordo, mas muitos continuaram perdidos depois do incidente.

No total, cerca de 250 pessoas foram registradas como desaparecidas na quinta-feira.

Imigração

Um fluxo intenso de refugiados tem atingido a Itália desde a queda do ex-presidente tunisiano Zine Al-Abidine Ben Ali, em janeiro, e do início dos conflitos na Líbia entre rebeldes e as forças do coronel Muamar Kadafi. A ilha italiana de Lampedusa, que chegou a receber mais de mil imigrantes ilegais em um só dia, fica a cerca de 130 quilômetros da costa da Tunísia.

O país europeu reclamou que não está recebendo ajuda suficiente de outros países da União Europeia para lidar com o fluxo de pessoas, o que fez com que outros países europeus reforçassem o controle das fronteiras.

*Com AP, BBC e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.